Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

DIA DA PREPARAÇÃO

 ESTRUTURA DA IGREJA

BASE CORPORATIVA

 

BASE PROFÉTICA

 

LOUVOR E ADORAÇÃO - ADORAÇÃO PROFÉTICA


DIA DA PREPARAÇÃO

“Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo (ou carne)”. Hebreus l0:19-20 NVI

     Precisamos ter alguns princípios claros para começar e conduzir a adoração. Necessitamos aprender todos os dias. Quando paramos de aprender, tornamo-nos desnecessários e começamos a formular religião.

     Nunca podemos nos esquecer de que a oferta que trazemos ao Senhor precisa ser oferecida por um sacerdote santo.

     Sacerdócio santo é o que o Senhor fez de cada pessoa que Ele arrancou das trevas. Esta é a razão da nossa salvação (I Ped. 2:1-9).

     Ser sacerdócio santo não é algo intelectual. É algo que entra na nossa experiência; por isso, o texto nos diz: “[...] agora que já provaste, experimentaste que o Senhor é bom [...]”. O Espírito Santo faz um paralelo de um dos nossos sentidos, o paladar, com o sentido espiritual. Todos os sentidos físicos possuem sentidos espirituais correspondentes. Sem os sentidos físicos seríamos como máquinas, e assim também o é no mundo espiritual. Sem os sentidos espirituais, nos movemos tão somente de maneira mecânica, sem nenhuma experiência acerca de Quem o Senhor é.

     Precisamos entender que nós somos seres espirituais. Vivemos dentro de uma realidade espiritual. A ordem real das coisas é: a realidade física existe dentro da realidade espiritual e não a realidade espiritual dentro da física, pois o visível foi feito a partir do invisível; o material do imaterial (Heb. 11:3).

     A realidade verdadeira, ao nosso derredor, não é a palpável. É a espiritual. À medida que formos entendendo isso, nossos conflitos irão diminuir. Se formos analisar, veremos como a sociedade, em todos os seus setores (uns de maneira mais acentuada), não se move sem atrelar a si elementos espirituais. Tudo ao nosso derredor é espiritual e ninguém se move hoje sem essa consciência e envolvimento.

     Todavia, todo movimento espiritual da sociedade sem Jesus Cristo como Senhor é falso e falsificador, porque é demoníaco. E produto da Religião. É para atrair e enlaçar, aprisionar cada vez mais as pessoas.

     Enquanto hoje, a sociedade sem Deus, vive assim; nós, os discípulos de Jesus, temos vivido apenas voltados para o corpo, o físico e não para o espírito.

     O fato é que nós, como filhos de Deus, podemos ainda assim, viver apenas no universo da alma; ou seja, sendo comandados por ela. O ser humano é um ser espiritual; e como tal, ele mesmo pode produzir, a partir da sua alma, uma série de coisas nela e no seu próprio espírito.

     Famosos filósofos gregos - que viveram vários séculos antes de Cristo e influenciaram sua época e ainda influenciam a humanidade - como Sócrates (470 a.C.), Platão (428 a.C.) e Aristóteles (384 a.C.) entenderam um pouco isso e se moviam no espiritual produzido pelo homem; toda filosofia não somente produzida por tais filósofos e por outros que existem sem uma ação do sangue de Jesus e um senhorio do mesmo, é carregada e dominada por demônios.

     Por ser o homem espiritual, na sua natureza, ou ele desenvolve a sua espiritualidade na relação com o Deus Verdadeiro, ou desenvolve a sua espiritualidade na relação com Satanás.

     Ninguém está isento em nenhum momento: Ou estamos envolvidos e submissos a Jesus ou estamos envolvidos e submissos a Satanás. Não há isenção aqui (luz ou trevas), II Coríntios 6:14b.

     O espírito humano está ligado a Deus; porém, tendo o homem pecado, o seu espírito foi para a prisão. Esse é o significado de “[...] mortos em delitos e pecados [...]” de Efésios 2:1. Nosso espírito tem capacidade de produzir, no mundo espiritual, mas se não estiver cheio do Espírito Santo, estará cheio do espírito do mundo no melhor que ele puder fazer.

     Nossa alma aprende as coisas, e é ela quem transfere para o espírito o que aprendeu. Aqui é que precisamos da restauração de tudo (nascer de novo), pois é o espírito que tem a autoridade legal dada por Deus para transferir para a alma e não a alma para o espírito.

     Há pessoas que, num determinado tempo, têm um nível de relacionamento com o Senhor. Depois, vão lentamente procurando outros sabores e, assim, vão se afastando do Senhor, II Pedro 2:20-22.

     No contexto da adoração, podemos fazer muitas coisas pensando que o fazemos pelo Espírito Santo. Porém, pode ser meramente almático. Por exemplo: Podemos repetir muitas declarações que estão na Bíblia e não ser oferta.

     Necessitamos crescer em Cristo pois à medida que paramos de crescer vamos nos mundanizando. A mundanização não ocorre de um dia para o outro. Ela vai envolvendo nossos prazeres, nossos sabores, etc. Há pessoas que, num determinado tempo, têm um nível de relacionamento com o Senhor. Depois, vão lentamente procurando outros sabores e, assim vão se afastando do Senhor.

     Nesta hora, precisamos crescer no entendimento da nossa realidade espiritual profética. Se pararmos, regrediremos, cairemos em situações bastante desconfortáveis.

     É como sacerdócio santo que vamos oferecer adoração em “espírito e em verdade”. Se não tivermos a mente de sacerdócio santo, tudo o que vamos oferecer a Deus é humano, por mas belo que seja.

     Em Colossenses 3:12-14, temos umas expressões que são de natureza essencialmente profética relacionadas com a adoração.

     Deus reparte os Seus tesouros com aqueles que de fato os querem. Para tanto, primeiro, Ele prova o homem. Muitas vezes Deus nos fala algo, depois parece que esquece. Foi assim com José, Paulo e outros. Um dos motivos que Deus fala e demora, às vezes, tanto para cumprir, é para nos provar, nos expor até que queiramos de verdade.

     Deus “demora” para provar o nosso desejo e nossa vontade. Até que queiramos de fato o Senhor e a Sua presença.

     Tudo na vida é secundário. Quando assim o for para nós, teremos sido tornados sacerdócio santo. Tudo o que fazemos se não formos sacerdócio santo, o resultado da equação é igual a zero. Nossas melodias podem ser lindas, os cânticos espirituais, mais espirituais... mas o resultado será zero.

     Precisamos entender quem somos: somos sacerdócio santo - aquele que entra no Santíssimo Lugar, no Santo dos santos, no coração de Deus.

ALGUNS DESTAQUES PRÁTICOS

     Nosso encontro, aos sábados é de adoração profética. É um encontro de preparo pessoal, de preparo da oferta. É um encontro para a direção profética do ajuntamento profético aos domingos.

     Isto não quer dizer, necessariamente, que o que vamos fazer aqui (no sábado) levaremos para amanhã (domingo). O que vamos fazer no sábado é prepararmo-nos como oferta. Prepararmo-nos como sacerdócio. Não viemos aqui para preparar o que vamos fazer amanhã, ou seja, colocar na tigela hoje e por na mesa do Pai amanhã.

     O que dedicamos ao Senhor [...] aos domingos é uma oferta fresquinha. A oferta do sábado, dia da preparação, é uma oferta completa em si mesma.

     Se nesta hora estamos ofertando ao Senhor, então, estamos preparando a oferta. Mas, se nessa hora estamos preparando a oferta, não estamos nos ofertando ao Senhor.

O PREPARO DA OFERTA É A NOSSA OFERTA

     Nós recebemos de Deus e damos de volta a Ele. À medida que recebemos, nós damos a Ele. Nós, aos sábados recebemos do Senhor e damos a Ele. No domingo, vamos receber mais do Senhor e damos mais a Ele. O tempo de sábado é muito precioso!

     Nosso conhecimento ainda é muito pouco, pouquinho, quase que precisamos de lente de aumento para ver. Se alguém acha que sabemos muita coisa pode sair desse engano.

     Muitas vezes o pouquinho de conhecimento que temos flui, recai, cai e fica tudo no nível da mente e não da relação do espírito. A forma e a expressão de tudo o que nós fazemos passam pela nossa alma, pelo nosso corpo. Nós pensamos que o fato de usarmos certas palavras, certas entonações torna tudo o que fazemos espiritual. Não! Isso é humano em si mesmo. O espiritual é inconfundível.

     À proporção que vamos crescendo, no nosso paladar espiritual, que vamos provando, subiremos níveis mais elevados.

     O encontro de sábado é muito importante no crescimento da realidade espiritual profética em nós. Muitos que estão aqui e os que não estão, deveriam estar, revelam que ainda não chegaram ao nível de entendimento necessário.

     Os que trocam esses encontros revelam o nível de entendimento que têm. Quando não entendemos o valor que têm as coisas, nós invertemos os valores e desprezamos a níveis secundários coisas que devem ocupar o primeiro lugar. Temos que discernir o bom e o excelente!

     Não viemos aqui para ensaiar. Se fosse assim, teríamos que ter ensaio para o encontro das seis horas e futuramente o da quarta, etc.

     Quero ressaltar que, na luta para fugir da religião, podemos criar outra religião. Todas às vezes que quisermos repetir o que fizemos é religião.

     Alguns momentos tínhamos 10 canções no momento da ministração do louvor e depois passamos a ter 1 ou mais. No início ou na primeira vez, pode ser interessante mas logo se torna simplesmente outra forma ou maneira de expressar a religião.

     Vamos misturando: colocamos música e alguns tons, e achamos que isso é espiritual. Isso não é espiritual. Isso não é espiritual coisíssima nenhuma! É apenas uma outra maneira de fazer a mesma coisa. O fato de simplesmente fazermos uma coisa hoje e termos que repetir sempre, revela na verdade, que o que mais estamos fazendo é religião. Isso é oferta estragada. Já não serve mais. Cada oferta é única.

DESTACANDO ENCAMINHAMENTOS ESPIRITUAIS

     Em relação ao irmão que vai conduzir a congregação no louvor ou em outra ação de Corpo, aconselhamos: SEJA VOCÊ MESMO.

     Nunca queira conduzir nada incorporando outra pessoa. Se tem voz aguda, não precisa inventar uma voz grave para dar idéia de espiritual [...]. Seja você mesmo! Mas verifique se você é você mesmo. Se assim não o for, estaremos sendo atores.

     Há pessoas que imaginam que a maneira de falar e a entonação vão gerar espiritualidade. Espiritualidade tem a ver com a relação com o Senhor. Temos que deixar para trás tudo em nós que está relacionado a outras pessoas. Deus usa a nossa identidade.

     Se tivéssemos um dia para passarmos juntos, em ajuntamento solene, com 40 irmãos nos conduzindo, seriam 40 maneiras diferentes de ministrar ao Senhor e uns aos outros.

     Precisamos jogar fora os complexos, pois são eles que geram esse tipo de imitação, todo o tipo de timidez e outras coisas mais. Quando removemos os complexos, podemos ser 100% nós mesmos. O complexo nos faz imitar pessoas, nas áreas dos nossos complexos, para esconder o mesmo. Uma vez que entram os complexos, passamos a ser cópias.

     Ninguém que está conduzindo tem que se comparar com o outro e nem comparar o outro com ele. Cada um de nós precisa ser como Deus nos fez. Cada um de nós precisa crescer no desenvolvimento da nossa identidade em Cristo, pois nossa identidade é nEle.

     Quando assim se suceder, nossa identidade vai sendo cada vez mais restaurada e vamos revelando facetas que vão sendo redescobertas e manifestas trazendo elementos novos. Entretanto, continuaremos a ter a mesma identidade.

     Quanto mais andamos na nossa identidade, que vai se desenvolvendo em Cristo, mas o profético vai fluir e a oferta e adoração vai sendo mais pura.

 O CÂNTICO ESPONTÂNEO

     Quando imaginamos que o cântico não espontâneo não é oferta ao Senhor, estamos equivocados; porque nenhum cântico é oferta ao Senhor em si mesmo. A oferta está relacionada com a verdade com que oferecermos ao Senhor em nosso espírito. A oferta não é a letra, mas o que está em nosso espírito que for verdadeiro que é a oferta.

     O cântico não espontâneo, que é o que colocamos na listinha, pode ter nascido de uma inspiração do Espírito Santo, não em nível da inspiração bíblica, pode ter fluído de uma oferta que alguém tenha feito no Senhor. Os cânticos que surgem de uma oferta do adorador durante, o seu tempo de adoração ao Senhor, são de composições relacionadas com o Espírito Santo.

     Os cânticos que surgem de uma composição, através da habilidade de um compositor, não são da mesma natureza daqueles que fluem da oferta do adorador.

     A adoração que o adorador faz, quando ele menos espera, começa do seu espírito, junto à sua alma, expressando-se na totalidade do seu ser. Ele começa percebendo que seu espírito e sua alma estão em comunhão com o Senhor. Percebe que o que está dizendo é ao Senhor e não a homens.

     Há cânticos que podem ser bíblicos simplesmente por serem fruto de uma organização poética do texto bíblico, é verdade. Mas se nasceu da capacidade do compositor, que conhece a Bíblia, isto não é oferta ao Senhor.

     No entanto, se o cântico nasceu de uma oferta verdadeira do adorador, este cântico tem um componente permanente de adoração nele (o Senhor Jesus Cristo).

     Portanto, um cântico não espontâneo pode ter nascido de uma maneira espontânea. Se nasceu como cântico espontâneo, na adoração ao Senhor, tem, portanto, um componente permanente de adoração ao Senhor, porque na sua fonte nasceu assim. E a pergunta óbvia é: “Como vamos saber?”. Esta é a razão da importância dos cânticos que cantamos surgirem em nosso ambiente congregacional. Mas, se não for assim é cântico de adoração? Se nasceu com aquela qualidade bíblico-poética, todavia a partir da alma do compositor, conquanto seja declaração de exaltação ao Senhor, de adoração a Ele, não é adoração que nasce do Espírito Santo, é algo nasce do intelecto da alma. Por mais que a música nos comova, nos arrebate, se não nasceu da relação com Deus, é da alma.

     E o cântico espontâneo? Um cântico espontâneo não significa que seja espiritual. Pode ser simplesmente produzido por nosso intelecto e/ou nossos talentos poéticos e musicais. Pode-se aprender produzir cânticos espontâneos.

CÂNTICO ESPIRITUAL

     Os repentistas brasileiros estão ai. Eles se concentram no nordeste. Tenho observado como há repentistas na Igreja. Imaginamos que um cântico é espiritual simplesmente por não ter sido escrito.

     Nós entramos numa música que os instrumentistas fazem sem muita harmonia e vamos dizer que é cântico espontâneo. Este cântico espontâneo pode ser produzido por nós exclusivamente.

     Não tenho receio de dizer que quase 100% dos cânticos, que tenho ouvido por onde tenho andado não são cânticos espontâneos coisa nenhuma! São cânticos espontâneos sim, mas do homem, da habilidade humana. Não do Espírito Santo e, sim, da habilidade do repentista.

     A origem do cântico espiritual é espontânea. O cântico espiritual é quando o Espírito Santo faz brotar em nosso espírito e nosso espírito busca o Espírito Santo, e juntos nós oferecemos uma oferta ao Senhor totalmente nova. “Nunca cantei, isso, nunca veio a minha mente [...]”. E começo a cantar.

     É um cântico espiritual, porque é um cântico espontâneo? Pode ser da alma e é o que acontece na maioria das vezes.

     Nós, muitas vezes, pegamos uma seqüência musical e vamos seguindo por ela e imaginamos ser um cântico espiritual espontâneo [...]. Com é que vamos saber? Cada filho de Deus que busca de fato adorar ao Senhor saberá disso.

     Quanto mais andamos na nossa identidade que vai, se desenvolvendo em Cristo, mais o profético vai fluir e a oferta e a adoração vai sendo mais pura.

QUANDO NÓS NOS REUNIMOS O QUE PODEMOS TER:

     Podemos ter cânticos espirituais espontâneos através de diversas naturezas:

     Podemos ter cânticos espirituais espontâneos através de um grupo;

     Podemos ter cânticos espontâneos através de uma pessoa que comece aquele cântico espontâneo profético, guiando os demais.

     Isso não é algo que podemos fabricar. Quando a adoração está acontecendo verdadeiramente é que surgem os cânticos espontâneos. Quando a adoração está acontecendo em “espírito e em verdade”, é aí que começam fluir os cânticos espontâneos proféticos. Não é algo da mente que nós produzimos.

     Não é o fato de pararmos e começarmos a tocar e cantar que produzirá um cântico profético. É necessário, primeiro, começarmos a andar na presença do Senhor.

     Podemos começar cantando a Palavra de Deus. Aí, nosso espírito se abre para adorar ao Senhor. O cântico espiritual espontâneo começa quando o nosso espírito já começou despertar e desligar-se do controle da mente, da nossa alma, e do mundo (Colossenses 3:12). Isso ocorre pela Palavra de Deus (Hebreus 4:12).

     Quando nos reunimos como povo de Deus, de que precisamos? Precisamos de cânticos de adoração. Às vezes 2, 3, 4, 5 [...] até que nosso espírito comece de fato a se despertar e não estar mais sob o controle da nossa alma. Porque nós já fomos contemplando o Senhor. Se já entrarmos direto no cântico espontâneo, será algo que nós mesmos iremos produzir. Estaremos enganando a nós mesmos.

     Qualquer cântico que se coloque que não seja de adoração de fato, o que será produzido é exatamente o que seu conteúdo diz. Neste sentido não conheço no Brasil algo que apanharia e encaminharia nessa dimensão da adoração. Pode ser até uma linda melodia, uma bela composição poética. Todavia cânticos para serem pontes no processo de adoração, necessitam muito mais do que beleza poética e música comovente.

     Já houve momentos de adoração entre nós, que foram assim: cânticos espirituais, cânticos de adoração profética verdadeira. Há parte dos cd's de Ana Mendez que foram assim. Temos músicas lindíssimas, bons compositores mas apenas compositores com letras com motivação religiosa e/ou comercial, por mais harmoniosas e com expressões de conteúdo ou formas bíblicas, mas são obras puramente humanas!

     Então começamos cantar. Nós e a letra vamos nos tornando a mesma coisa. Por isso é importante sabermos quem escreveu o cântico. Não é por não ser espontâneo que o cântico não sirva.

     Quando a adoração está acontecendo verdadeiramente é que surgem os cânticos espontâneos. Quando a adoração está acontecendo “em espírito e em verdade”, é aí que começam fluir os cânticos espontâneos proféticos. Não é algo da mente que nós produzimos.

A VALIDADE DO SERVIÇO DE ADORAÇÃO, ATRAVÉS DO CÂNTICO É:

     Por sua origem; Por minha relação com ele o cântico;

     Ainda que a origem do cântico seja verdadeira e cheia do Espírito Santo, da glória de Deus, mas se minha relação não é verdadeira, então não há adoração. Adoração está relacionada ao que estou vendo do Senhor e como estou me dirigindo a Ele.

     A adoração não está relacionada com o que estou dizendo, mas com que o que estou vendo do Senhor. Se não estou vendo, estou apenas repetindo, usando vãs repetições. Adoração, amados, não tem nada a ver com o cantar, com o que estamos dizendo em si; mais sim no que contemplamos, que está sendo feito no céu no mesmo momento, nossa adoração será em espírito e em verdade quando alcançarmos isto. (Mateus 6:10)

     Muitos cânticos que chamamos de adoração, não o são em sua essência. Necessitamos identificar, em sua origem e essência, os cânticos de adoração.

     Há muitos cânticos que são:

     Orações;

     De arrependimento;

     Didáticos; para ensinar algum conceito ou doutrina bíblica;

     De confissão;

     Da alma, etc.

     É por isso que fica difícil o fluir. Precisamos identificar quais são os cânticos de adoração pura. Não podemos confundí-los com cânticos que estão enfatizando doutrina: arrependimento, perdão, volta de Cristo, etc. Esses cânticos podem ter lugar, mas lá na frente, não no processo de despertamento do nosso espírito para adoração.

     No texto de Colossenses 3:14-21 que nos fala de “salmos, hinos e cânticos espirituais”, temos a direção profética de toda revelação que se dá de Gênesis a Apocalipse.

     Hino é tudo que se oferece ao Senhor - a palavra é “Himnos”. Podemos compor um hino na nossa comunhão com o Senhor e outros podem cantar. Contudo, cada um tem que fazer sua oferta!

     Há também cânticos espirituais, que são cânticos espontâneos que o Espírito Santo conduz em nosso espírito. Cânticos que vão fluir do Espírito Santo, os quais cantamos uma vez e ás vezes nunca mas voltaremos a cantá-los novamente.

     Por quanto tempo vamos cantar um cântico, no processo de adoração? Às vezes, vamos cantar um cântico que não é de adoração 1,2,3,4 minutos [...]. E sabe o que ele vai produzir? Algo relacionado com a natureza dele. Se é um cântico de adoração, na sua essência, pode ser que a adoração comece brotar depois de 3 ou 4 minutos.

     Podemos também guiar uma seqüência e depois voltar até que nossos irmãos estejam em condições de cada um poder ofertar ao Senhor em seu espírito.

     Quando todos vamos ofertar ao Senhor individualmente, não é mais congregacional, mas pessoal. Podemos fazer isso? Claro que sim. Há tempo para isso. Entretanto, precisamos também apresentar oferta ao Senhor de maneira coletiva.

     Se identificarmos cânticos de adoração, estes podem ser pontes. Só que, às vezes, pegamos um cântico que foi ponte uma vez e queremos repetí-lo sempre. No primeiro mês, maravilhoso, mas no segundo, que já virou repetição, passamos para o nível da mágica, da feitiçaria.

     Não é apenas a letra que vai dizer se é adoração, mas se o Espírito Santo está ligado àquela composição em si.

     Aí é um hino, uma oferta. Podemos fluir e podemos fazê-lo a partir do texto bíblico, pois este texto já é inspirado pelo Espírito Santo. A adoração não é uma declaração, mas uma oferta.

     Quando vamos nos preparar para o tempo coletivo de adoração, a questão não é o cântico. Podemos cantar o mesmo cântico por uns 20 minutos e aí nosso espírito se abrir para adorar. Ou, ainda, escolhermos entre 3 cânticos e, a partir do primeiro, já brotar a adoração, fluindo, em seguida, o espontâneo por 5 ou 10 minutos.

     Todavia se não fluir, não devemos inventar. Posso interpretar que pelo fato de não ter fluido o espontâneo não houve adoração. Mas, ainda assim, os anjos poderão estar fazendo uma festa e ter sido aquilo o que exatamente o Espírito Santo tenha querido encaminhar.

     Não temos que ter todos os dias e todas vezes, todas as horas, cânticos espontâneos, pois se assim o for, teremos que fabricar. De um mês para o outro já virou religião, estaremos no abismo da religião e do engano.

     Precisamos clamar ao Senhor para nascerem cânticos de adoração entre nós. Adoração que surge na oferta pessoal; mas pode ser que o Senhor tenha nos dado algo para adoração pessoal, e não para ser ofertado na congregação.

PRECISAMOS PEDIR AO SENHOR MÚSICAS PARA OS TEXTOS BÍBLICOS DE ADORAÇÃO

     Quando o Espírito Santo atua em nosso espírito, flui adoração. Se Ele não atua, nós mesmos podemos produzir com nossa capacidade de fazer. Quem está conduzindo tem que estar atento, pois o Espírito Santo pode estar fazendo brotar algo da Congregação. Aí, devemos chegar perto da pessoa, sem que ela perceba, colocar o microfone. Quando percebemos que encerrou, devemos sair imediatamente. Pode ser que a pessoa continue; inclusive se achando o máximo!

     Podemos sempre ter l0 minutos de adoração espontânea. Todavia, não podemos programar isso.

     Temos que estar sintonizados com o horário. Se dispomos de 50 minutos, tem que ser dentro desse tempo. Mesmo que os cânticos sejam, espirituais, continuamos com o nosso corpo físico.

     Precisamos ser enfáticos nos dízimos e ofertas. Dízimos são dízimos, ofertas são ofertas. Aqueles que deixam de adorar ao Senhor com seus dízimos e ofertas, estão à beira do endividamento. Todo aquele que adora ao Senhor com seus dízimos e ofertas dificilmente entram em endividamento.

     Às vezes, nosso espírito só se abrirá para adorar durante a exposição da Palavra. Quando acontece de ser antes, é muito bom! Ele se abre para a Palavra. Entretanto, não é algo que, também, podemos programar.

O VOCAL

     O vocal continua sendo vocal. Precisa continuar fazendo harmonia. Fazendo as vozes. Mesmo no tempo de cânticos espirituais. É necessário entrar junto, fluindo com as vozes junto ao ministrador.

     Finalmente, vigie sempre para você não se exibir. Porém, cuidado, pois por medo de se exibir você poderá deixar de ser você mesmo, na simplicidade de Jesus.

PARA FECHAR TUDO

     Estas coisas todas decorrem da relação que tivermos com o Espírito Santo.

     O Mandamento é Efésios 5:18. “[...] enchei-vos do Espírito [...]”. Temos que nos preparar o tempo todo. Ter uma relação contínua com o Senhor. Isso não é como uma torneira, que se abre e fecha. Tão somente precisarmos vigiar nossas motivações, nosso coração.

     Assim, quando vamos ministrar é só orar e pedir: “Espírito Santo, vem conosco conduzir-nos na adoração ao Deus Triúno”. E, desta forma, sucederá, pois nossa relação com Ele é verdadeira.

     Observação:

     Na hora que fluir o profético, a partir de um indivíduo, todos precisamos ouvir. Para tanto, os instrumentistas, som, vocal, todos precisam abaixar o volume.

     Muitas vezes enquanto estamos adorando ao Senhor com um cântico, pode vir outro cântico relacionado com aquele contexto como congregação. Devemos, então, parar e encaminhar aquele cântico.

DESTAQUES E AMPLIAÇÕES

     O encontro de sábado é para o nosso preparo pessoal. É nossa oferta de preparação para oferta do 1º dia da semana. Recorde e entenda Lucas 23:53 a 24:8. A oferta que trazemos aos sábados pode tornar-se muito mais preciosa do que tudo o que faremos no domingo. Esse encontro é para nos prepararmos. Nós mesmos temos que ser a oferta. Temos que livrarmo-nos da idéia de que sábado é ensaio. Quando entendermos isto, não trocaremos este horário por nada!

     Ao trazermos esta oferta nós vamos nos preparando como oferta. É também, para que os irmãos que irão nos conduzir, na oferta do 1º dia (o dia da ressurreição do Senhor), nos conduzam em espírito e pelo Espírito Santo. É uma oferta que trazemos ao Senhor tendo em vista prepararmo-nos e nos preparar como oferta.

     O culto, a adoração-oferta aceitável a Deus (I Ped. 2:4,5), não é necessariamente o que fazemos na reunião. É o nosso íntimo para com o Senhor - como Abel, Enoque, José, etc. Este encontro (aos sábados às 15h) é extremamente estratégico para nós como congregação. Este é um encontro representativo da Comunidade Encontros com Jesus preparando-se para a oferta do lº dia da semana.

     “Espírito Santo, enche a Comunidade Encontros com Jesus de temor e tremor para o ajuntamento solene do dia de amanhã.” Ao sermos a oferta, nós podemos ajudar os nossos irmãos ao domingo para juntos ofertamos ao Senhor.

     No Salmo 51-6 - O Espírito Santo nos diz que DEUS AMA A VERDADE NO ÍNTIMO. É a verdade no nosso íntimo que estabelecerá a nossa oferta para o Senhor. Se Ele aceitará ou não. Considere seriamente Isaías 1:10-16. Hebreus 10:19-23 e 13:12-16.

     Recordemos que o cântico não espontâneo pode ser um cântico espiritual. Ele já está escrito, todos podem cantar. O cântico que cantamos espontaneamente não significa que estamos adorando, pode estar vindo da alma. O cântico espiritual é adoração quando o nosso espírito se uni junto com o Espírito do Senhor, aí adoramos a Deus e O amamos.

     Todo cântico espiritual espontâneo verdadeiro é um cântico profético com elevadíssimo conteúdo, Expressão e manifestação de adoração verdadeira.

     É impossível adorarmos ao Senhor, se nós não O amamos. Decore o que o Senhor nos diz em Marcos 12:29-33 e Efésios 3:17 a 21.

     Em relação aos ímpios, o Espírito Santo opera fundamentalmente para convencê-los do pecado (João 16:7-11). Mas depois, o Espírito Santo continua operando em todo o nosso ser. Não podemos oferecer a Deus nada que o nosso espírito não tenha recebido dEle. Esse é um dos ministérios do Espírito Santo: produzir arrependimento, quebrantamento e adoração ao Deus Vivo no espírito dos Seus filhos. Veja Isaías 57:15 até o verso 21. Também os Salmos 18:6 e 34:18.

     Não podemos fazer reuniões a nível de alma pelo nosso intelecto e para o nosso intelecto e dizermos que estamos adorando ao Deus Vivo. Além do Espírito Santo, a palavra de Cristo precisa habitar em nós, nos encher; senão tudo o que pretendermos fazer a Deus, será a nível de alma, de intelecto, e não em espírito.

     “A Palavra de Cristo habite em vós rica e abundantemente [...]” (Col.3:16) - ela já nos foi dada por Ele para esse propósito: habitar em nós rica e abundantemente.

     Essa oferta, que vem a ser a nossa adoração, para acontecer é necessário sermos guiados pelo Espírito Santo. As primeiras evidências de um crente cheio do Espírito Santo é a ADORAÇÃO em espírito e em verdade e o FRUTO DO ESPÍRITO Efésios 5:18-20 e Gálatas 5:16-25.

     Nós guardamos a Palavra do Senhor pela decisão de nosso íntimo de obedecer, não pelo nosso intelecto.

     É o Espírito Quem nos dá o que iremos ofertar ao Senhor. Para isto, é necessário termos comunhão com Ele. Temos que aprender a estarmos com o Senhor, a vê-Lo e ouví-Lo. Isso ocorre atreves do Espírito Santo que habita em nós operando em nossos SENTIDOS ESPIRITUAIS por meio da Revelação escrita de Deus e diretamente.

     Os nossos cinco sentidos são representação dos nossos sentidos espirituais. É através deles que nos inserimos e conhecemos no reino espiritual seja das trevas ou da luz (de Cristo).

     Necessitamos nesse tempo tomar a decisão de passarmos tempo com Deus, de estarmos com Ele. Não é somente ler a Bíblia aí o nosso espírito começa a enxergar no reino espiritual como Jesus. Quando começamos a andar com o Senhor na comunhão do Espírito Santo, nós vamos ver a Jesus em nosso espírito. Como amarmos a Deus se não o conhecemos? Os que estiverem sem Jesus estão em prisão (o espírito tem a existência eterna). A pessoa que não está salva continua com o seu espírito dentro dela, porém, ele, o espírito da pessoa, está em trevas, em prisão. O primeiro sentido da palavra salvação é libertação. A comunhão com Deus ocorre no nível de I Coríntios 2:9,10; precisamos tomar a decisão e o Espírito Santo irá operar através da nossa decisão.

     Enquanto não enxergarmos, vermos o Senhor, a nossa adoração será frustrante, sempre trará frustração. Nossa geração necessita ver o Senhor. Conquanto a adoração seja no espírito, não há adoração sem uma decisão na alma, sem verdade no íntimo.

     Quando o nosso espírito começa a contemplar ao Senhor, aí sim, a nossa adoração espiritual começa a fluir. Em Apocalipse 1, quando o apóstolo João viu a Jesus revelando-se em parte da Sua glória, mesmo estando na condição de arrebatado, em espírito, caiu como morto. Veja Apocalipse 1:9-18.

     Obs: Quase 100% da Comunidade Encontros com Jesus, quando se encontra aos domingos, estão com a mente mundanizada. Nós chegamos mundanizados porque não temos aprendido a andar com o Senhor, ou seja, a termos um tempo de dedicação íntima com Ele.

     Estamos preocupados com as coisas do mundo (ao ler o livro “Não ameis o Mundo” podemos ter o entendimento amplo do que é mundano e ter a mente preocupada com as coisas do mundo) - recorde Colossenses 3:1-3 e Mateus 6:19-33.

     Então, um dos resultados dos cânticos de adoração e rendição ao Senhor é nos ajudar a romper com essa mundanização, com a qual amanhecemos todos os dias, para então começarmos a ofertar verdadeiramente ao Deus vivo. Somente quando o nosso espírito vai sendo liberto da mundanização é que começamos a oferecer a Deus adoração em espírito e em verdade - oferta/adoração que Ele possa aceitar e ser servido.

     Necessitamos de preparo para nos aquietarmos na presença do Senhor!!! Salmo 46:10

     A nossa oferta será no nível, na proporção que começamos a ver o Senhor. Essa oferta é fruto da nossa decisão e da operação do Espírito Santo.

     Há alguns cânticos que nasceram de oferta. Quando escolhemos um cântico não-espontâneo, aquilo que dizemos através da letra tem que fazer parte de nós, senão estaremos mentindo, e Deus sabe disso. O que faz um cântico ser espiritual é a nossa intimidade com o Espírito Santo no nosso espírito e a Palavra de Cristo habitando em nós. Precisamos crescer nesta experiência e vermos o Senhor. Precisamos de cânticos que nos desbloqueiem da nossa mente de mundanização. Cânticos de adoração pura. Letras que são adoração pura e, quando fazemos dessas uma declaração nossa, aí começamos a adorar em nosso espírito e a fluirmos em adoração espontânea.

     No cântico de adoração pura, toda a letra do cântico é adoração a Deus. Este vai desbloquear tudo depois que nós nos “desmundanizamos”. É como que se a porta do céu fosse aberta. Tudo é muito relacionado com o nosso preparo pessoal em nosso espírito e alma, junto a nossa comunhão com o Espírito Santo. O cântico de adoração pura irá ajuntar a todos como um ímã, na presença do Deus Vivo, no Santo dos santos. Podemos estar com o Senhor em qualquer lugar. À medida que isto acontecer começará a se manifestar o reino.

     A oferta/adoração só ocorre quando eu disser, conscientemente (em verdade), ao Senhor o que estiver cantando. Estou vendo ao Senhor, estou me dirigindo a Ele, dizendo a verdade para Ele cara a cara. Cheios do Espírito Santo uma coisa que Ele produzirá em nós é o louvor e a adoração. A verdade tem que estar no íntimo, precisamos ver o Senhor. Estarmos nos dirigindo a Ele.

ATIVIDADE

     Crescer no entendimento e trazer exemplos de cânticos de adoração pura. Praticamente não existe cântico de adoração pura em nossos hinários. Quase tudo é oração, ou ensino, etc.

RECORDAR

     Cântico espontâneo pode ser cântico espiritual, adoração verdadeira, mas não necessariamente, e o cântico não-espontâneo pode ser um cântico espiritual também. É quando dizemos a verdade no íntimo, olhando para o Senhor e dirigindo-no a Ele através do que estivermos declarando.

Escrito pelo Pr. Silas Quirino de Carvalho

para uso interno da Igreja Evangélica Comunidade Encontros Com Jesus.

 

Versículo do Dia

Cl 1:22

"No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis, "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

174 - A FONTE DE ÁGUA VIVA!

     Quando você está com sede, nada é tão bom quanto um copo de água fresca! É claro que a água só satisfaz você temporariamente. Depois, você tem necessidade...

38 - ATITUDE DE VENCEDOR

     Era uma vez, uma floresta...      Um dia, o macaco, representante eleito dos animais, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e disse: Nós sabemos que...

117 - UM DIA NO CÉU

     Sonhei que fui ao Céu e um anjo mostrava as diversas áreas lá existentes. Entramos numa sala de trabalho cheia de anjos. O anjo-guia parou no primeiro departamento...

197 - INCONSTÂNCIA

     Uma das mais sérias doenças do caráter é a inconstância. Inconstante é aquela pessoa que começa a fazer alguma coisa e nunca a conclui. Está sempre dando início...

139 - VIDA TRANSFORMADAS POR MEIO DO DISCIPULADO

 “Esta é a primeira vez em minha vida que Deus me usou para conduzir um ímpio a Cristo.”      “O seu treinamento e discipulado me ensinaram como ser uma verdadeira testemunha...