Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

CONSIDERAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA A LIBERTAÇÃO ESPIRITUAL/EMOCIONAL EFETIVA

ESTRUTURA DA IGREJA

BASE CORPORATIVA

 

REDE DE ACONSELHAMENTO E LIBERTAÇÃO

 

CONSIDERAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA A LIBERTAÇÃO ESPIRITUAL/EMOCIONAL EFETIVA

     “Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: 'Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos. E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará [...]' Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.” João 8.31, 32 e 36

     1º) Não há LIBERTAÇÃO VERDADEIRA sem FÉ-RENDIÇÃO total a JESUS CRISTO COMO Senhor absoluto, ou seja, Senhor da totalidade de nosso ser:

     Somente há libertação verdadeira em Jesus Cristo e através dEle é o que Ele nos diz em João 8.31,32 e 36. A libertação do império das trevas, do engano e domínio mental/emocional e espiritual dos demônios, da carne e do mundo é a PRIMEIRA manifestação da SALVAÇÃO na experiência de uma pessoa. Veja João 10.10.

     2º) A FÉ-RENDIÇÃO a Jesus Cristo manifesta-se através do ARREPENDIMENTO ESPIRITUAL verdadeiro (não apenas intelectual ou emocional estes produzem apenas remorso e fuga). Entenda a Palavra de II Coríntios 7.9,10.

     3º) Uma vez sob QUEBRANTAMENTO ESPIRITUAL, que é evidência ou fruto do ARREPENDIMENTO e da CONFISSÃO sincera de/dos pecados diante da santidade de Deus, EM NOME DE JESUS CRISTO, é que então, pode-se QUEBRAR, ROMPER, CANCELAR todos os pactos feitos com os demônios, o império das trevas. Pactos FORMAIS e INFORMAIS.

     Formais são os pactos estabelecidos através de cerimônias, rituais, oferendas; as alianças verbais, de sangue, etc. INFORMAIS são pactos que vão sendo estabelecidos através de PECADOS CONTINUADOS e/ou de pecados não-confessados que ficam guardados. Todo pecado é um tipo, uma forma de PACTO COM O DIABO. Em I João 3.8, a Palavra de Deus orienta que “QUEM COMETE PECADO É DO DIABO, PORQUE O DIABO PECA DESDE O PRINCÍPIO”. Todo arrependimento espiritual verdadeiro é fundamentalmente uma quebra de pactos, de alianças com os demônios, com o diabo; tanto dos FORMAIS quanto dos INFORMAIS e estabelecimento de PACTO com Deus e com a própria pessoa. (O “INVENTÁRIO” é apenas um meio para facilitar na identificação conjunta de tudo que precisa ser reconhecido, mediante a confissão e renúncia consciente).

     4º) Toda quebra de PACTOS/ALIANÇAS demoníacas com as trevas, FEITA NESTES TERMOS, mediante o SANGUE DE JESUS (o sangue da nova aliança) e em NOME DE JESUS, é confirmada no céu. Veja Mateus 16.19; 18.15-18; I Cor.11.25; Mat.26.28; I Ped. 1.2,18,19: Heb.10.19-23; Col. 1.20-23: Ef.2.11-13; Rom. 5.6-10; Heb. 9.10-15; Apoc. 12.9-11.

     Tendo sido os pactos devidamente quebrados, nestes termos, os demônios não podem mais reivindicá-los, nem explorar a pessoa contudo, se a pessoa SE ENLAÇAR com o MUNDO, e não romper com as OBRAS da carne, os demônios RETORNARÃO ao controle, porque com tais atitudes a pessoa estará NEGANDO a FÉ-RENDIÇÃO a Jesus Cristo como seu Senhor absoluto. Veja Lucas 11.24-26.

     5º) Qualquer PESSOA, independentemente do nível de experiência de conversão (rendição a Jesus Cristo como seu Senhor) que tenha tido, SE NÃO DECIDIR alimentar-se devidamente, com entendimento espiritual da Palavra de Deus (a Bíblia ) e NÃO DECIDIR OBEDECER ao que o Deus Vivo (Pai, Filho, Espírito Santo) diz, orienta, encaminha em Sua Palavra, NÃO VENCERÁ o mundo, nem a carne. E o diabo (os demônios) voltará ao controle de sua mente, vontade, emoções e vida. Considere sabiamente a Palavra de Jesus em Mateus 7.21-27.

ALERTA ! ALERTA ! PERIGO !

RAIZ DE AMARGURA: Uma armadilha satânica e infernal

     A principal armadilha que o diabo usa para neutralizar e/ou reassumir controle através das obras da carne, reimprimindo paixões mundanas na alma de pessoas que provaram conversões verdadeiras, enchendo-as de terríveis espíritos de incredulidade, depois de terem provado, experimentado Jesus Cristo verdadeiramente (veja I Pedro 2.1-3), É A RAIZ DE AMARGURA. Decore Hebreus 12.15 e imprima esta advertência do nosso Deus em seu espírito. Veja na versão contemporânea, na NVI e em outras.

     A “raiz de amargura” é uma poderosíssima arma maligna contra os filhos de Deus, e não importa quantos anos de vida vitoriosa um crente tenha tido. Ao dar lugar a ela, sua fé começará secar; as obras da carne começarão a crescer nele e logo os demônios o neutralizarão. Alguns se tornam incrédulos e, depois de anos de vida em Cristo, tornam-se mundanos e se apostatam por causa de efeitos dela.

     A “raiz de amargura” reabre as portas na alma e no espírito da pessoa (crentes verdadeiros) para demônios, espíritos de incredulidade, retornarem. Aliás, essa é uma causa pela qual eles lutam o tempo todo, e a arma mais eficiente que têm é esta: A raiz de amargura.

     A Raiz de amargura é formada através das ofensas, agressões, injustiças, sofrimentos, prejuízos, perdas, decepções, qualquer tipo de mal ou experiências negativas de que uma pessoa tenha sido vítima ao longo da vida ou em determinadas situações. Ainda, podem ocorrer a autopiedade, o orgulho, o ego e o egocentrismo, quando as vontades das pessoas não são atendidas como querem, manifestando-se aí o “espírito de Jezabel”. Os demônios e o mundo, através das pessoas, têm “mil e uma” maneiras para produzir isso em todas as pessoas. O “inferno” trabalha com esse instrumento o tempo todo. E quando as pessoas usadas são evangélicas, os efeitos dessa arma são ainda maiores.

     Os principais objetos contra os quais se concentra a raiz de amargura são: os outros, circunstâncias da vida, o próprio Deus e elas mesmas. Muita gente vive cheia de amargura contra tudo e especialmente contra Deus. Onde houver qualquer tipo de raiz de amargura, há aprisionamentos espirituais e uma ação contínua de tormentos. É importante ressaltar que muitas pessoas ainda acrescentam amargura contra elas mesmas; não gostam de si, da sua herança e características familiares; acusam-se e, mesmo convertidas a Jesus Cristo, NÃO SE PERDOAM por práticas (erros, pecados, decisões) e atitudes que tenham tido.

     As formas através das quais a “raiz de amargura” se manifesta são: ressentimento, mágoa, ira, ódio, contenda, inimizade, tristeza, frustração, incredulidade, murmuração, maledicência, sentimento e impulso de vingança e etc. Na verdade, a “raiz de amargura” abre as portas para todas as obras da carne (veja Gal.5.19-21) e para vários demônios.

     Conforme está no texto bíblico, a amargura tem RAIZ. Quando ela é recebida e/ou encontra espaço em uma pessoa, vai se enraizando cada vez mais na alma dela e aprisionando o seu espírito. Esse enraizamento passa do consciente para o inconsciente das pessoas e as atormenta por toda a vida.

     Muita gente se converte, mas não se livra/liberta da raiz de amargura, por isso começa a vida cristã com entusiasmo e alegria, mas depois de algum tempo esfria e/ou abandona o Evangelho, a Palavra de Deus, o povo de Deus (a igreja) e Jesus Cristo.

     A maior parte das enfermidades/doenças e sofrimentos físicos, emocionais, derrotas, etc., das pessoas é causada pela “raiz de amargura”; pelos ressentimentos e ódios enraizados. A raiz de amargura é a causa PRINCIPAL de infidelidade conjugal, e destruição de muitos casamentos, família e até homicídio.

     Há cura para esse terrível mal e libertação das suas armadilhas? É claro que há. A cura e libertação dela fazem parte da obra de Cristo na cruz e da salvação/libertação de todos os que invocam o nome de Jesus Cristo verdadeiramente (veja At. 2.21 Rom. 10.9,10: João 10.9,10 e 8.36).

     O que gera e produz a “raiz de amargura” não são necessariamente os males, ou prejuízos, ou ofensas, ou agressões, etc., que uma pessoa ou situação possam nos causar, MAS É A FALTA DE PERDÃO. Repetindo: a falta de perdão é a causa da “raiz de amargura”. Não importam os males ou o que nos tenham causado.

     A única provisão de Deus para nos guardar ou nos libertar e curar da raiz de amargura e seus efeitos É O PERDÃO. Perdão, não meramente de palavras, mas algo profundo e espiritual, que envolva todo o nosso ser.

     Muitas pessoas passam a vida toda sofrendo ofensas e agressões algumas começam no útero, seguem no nascimento, na primeira infância, na segunda infância, etc. Estamos o tempo todo expostos a isso. E a “raiz de amargura” vai para o subconsciente e inconsciente da pessoa.

     Somente uma pessoa que conheceu e conhece Jesus Cristo verdadeiramente e O recebeu mesmo como Senhor e Salvador, pode perdoar completa e totalmente o perdoar com todo nosso ser faz parte da obra de Cristo em nós; de estarmos nEle e Ele em nós.

COMO SER CURADO/LIBERTO DA RAIZ DE AMARGURA E SEUS EFEITOS DESTRUIDORES

     Se uma pessoa se converter verdadeiramente, mas não investir sinceramente para ser LIBERTA/CURADA da “raiz de amargura” e todos os seus efeitos; e/ou após a CURA não se vigiar continuamente para não permitir que daí para frente outras situações geradoras a levem novamente para esse abismo, MESMO QUE TENHA PASSADO POR UM PROCESSO DE LIBERTAÇÃO DETALHADO E SINCERO, várias das áreas renunciadas serão novamente abertas, porque a “raiz de amargura” é um pecado ofensivo a Deus e porta para os demônios aprisionar, atormentar e roubar a vida abundante (veja João 10.10).

ROTEIRO PARA BUSCAR E RECEBER CURA / LIBERTAÇÃO:

     1º) Reconheça sinceramente e identifique todas as formas da “raiz de amargura”. TUDO QUE LHE TENHA CAUSADO ALGUM TIPO DE SOFRIMENTO, presente em sua formação, experiência e história. Não há ninguém que não seja exposto a situações geradoras dela. Ela entra em nosso ser, às vezes violentamente; outras, sutil e gradativamente. Como isso ocorre sempre, uma “raiz” vai-se somando e sobrepondo-se a outras, construindo uma crosta, misturando-se a outra. Quando uma pessoa se converte e se rende a Jesus Cristo, irá necessitar da ajuda e operação do Espírito Santo para trazer à luz e levá-la a recordar TODAS as situações que já foram para o seu inconsciente e subconsciente, e até aquelas que, quando ocorreram, a pessoa nem percebeu.

     2º) Reconheça e entenda que em relação à “raiz de amargura”, conquanto seja causada diretamente por experiências desagradáveis com pessoas ou situações, na verdade quem está por trás de tudo é o diabo e seu império. Portanto, ao tratar desse assunto, temos que ter entendimento espiritual claro de Efésios 6.12. O Espírito nos revela que “não é contra carne e sangue que temos que lutar [...]”, não é contra pessoas humanas como nós, mas contra principados, potestades, príncipes das trevas deste século (poderes deste mundo tenebroso) e hostes espirituais da maldade (forças espirituais da maldade) [...]

     3º) Entenda que a “raiz de amargura” é uma situação em nós, um problema, um mal em nós, um mal nosso, e não das pessoas através das quais a situação causadora foi gerada. Inicial e geralmente, as pessoas ofensoras e causadoras das injustiças e males não são atingidas pela “raiz de amargura” causada por elas, intencionalmente ou não, ainda que elas façam isso por estarem cheias de amarguras causadas por outras pessoas e situações contra elas. Pessoas que ferem, que lesam, que causam sofrimentos, são vítimas dessas mesmas coisas, das quais não foram curadas e libertas.

     4º) Entenda biblicamente que a “raiz de amargura”, em todas as suas formas, É PECADO contra Deus. É pecado gravíssimo. Pecado de NÃO PERDOAR e de ressentimento. TODO ressentimento é pecaminoso, é obra da carne e armadilha maligna contra a pessoa

     5º) Para iniciar o processo em si, identifique TODAS as situações da sua história pessoal e da sua experiência de vida, às vezes ainda durante a gestação, rejeição dos pais quando se engravidaram (tentativa de aborto, etc.). Também identifique as situações e AS PESSOAS causadoras (segundo a nossa avaliação, porque às vezes a pessoa não imagina que nos sentimos agredidos, feridos, ressentidos com algo que tenha ocorrido no relacionamento ou alguma situação com ela).

     É necessário identificar tudo mesmo, que nos tenha feito sentir ofendidos, feridos, lesados, irados, revoltados, qualquer coisa que nos faça sofrer ao recordar, que cause sofrimento nessa área; e/ou que nos tenha semeado ódio, ressentimento, amargura, etc. IDENTIFICAR AS PESSOAS causadoras e envolvidas.

     6º) Se possível, verifique, se porventura, no tempo da sua gestação, ainda que você tenha sido planejado e aguardado, seus pais não estavam vivendo um contexto de amargura contra outras pessoas ou com a própria vida, e assim você nasceu sob essa carga, influência e transferência de amargura que é tão danosa quanto as outras formas de origem de amargura.

     7º) É NECESSÁRIO E FUNDAMENTAL:

     a) Confessar a Deus todo o seu sentimento com relação a cada pessoa e situação, porque todos os componentes da “raiz de amargura” são pecados em si mesmos, e todo pecado é primeiramente contra Deus. Pessoas não regeneradas pelo poder da graça de Deus mediante o sangue de Cristo e a obra do Espírito Santo, não têm condições de perdoar verdadeiramente, porque o perdão é algo do Reino de Deus. Perdoar ofensas e ofensores não é fácil. Só começamos a ser liberados em nosso ser para perdoar, na medida do RECONHECIMENTO espiritual e arrependimento total diante de Deus dos pecados ligados à raiz de amargura. As pessoas, cujo espírito ainda está em trevas aprisionadas em delitos e pecados (Ef.2.1-8) por não terem se rendido a Jesus não têm como se livrar, por si mesmas, das prisões infernais da “raiz de amargura”.

     b) Após reconhecer, confessar sob verdadeiro arrependimento espiritual (não o mental ou emocional) a Deus, e PERDOAR. Perdoar todas as pessoas agentes ou causadoras direta ou indiretamente PERDOAR TAL COMO SOMOS PERDOADOS POR DEUS, independente do que nos tenha sido feito (De fato, nenhuma pessoa que não tenha experimentado e que não desfrute da experiência pessoal e diária do perdão de Deus, é capaz de perdoar total e verdadeiramente somente os filhos legítimos de Deus o são, porque agora, a natureza de Cristo está plantada neles (veja Col.2.6,7, etc.), e são capazes de amar, porque conhecem (experimentam) o amor de Cristo neles (veja Ef. 3.17-19). PERDOAR É MANIFESTAÇÃO, PROVA DE AMOR: amor que decorre do amor de Deus na pessoa, e não do amor natural (Rom.5.5).

     As pessoas não regeneradas em Cristo não têm condições de perdoar totalmente, porque o espírito delas não está liberto em Cristo. O máximo que conseguem fazer É DESCULPAR, alguns em níveis bem profundos; mas desculpar não é perdoar; e os efeitos, correntes, prisões da “raiz de amargura” somente são erradicados e destruídos através do perdão.

     Mesmo sendo regenerados, temos que ter consciência de que PERDOAR aos que nos ferem, nos agridem e lesam, não é coisa fácil. Não acontece simplesmente por declarações verbais, nem de um momento para outro, mas É UMA BATALHA ESPIRITUAL, que pode durar semanas e meses para que a vitória seja total. O processo inclui:

     1) O diagnóstico real e reconhecimento da nossa realidade a “raiz de amargura” é um mal dentro de nós, que atinge nossa alma e espírito;

     2) Arrependimento diante de Deus e confissão, confissão, confissão [...] desse pecado a Ele;

     3) DECISÃO. Perdoar é um mandamento e a experiência de perdoar começa com DECISÃO. Perdoar é uma decisão que não se baseia nos nossos sentimentos, mas na obediência a um mandamento do Senhor. É uma decisão espiritual, e não emocional.

     8º) Ao começar perdoar AS PESSOAS, passe a declarar, em voz alta, em nome de Jesus, várias vezes por dia, que PERDOA a(s) pessoa(s) e a ABENÇOÁ-LA(s) abra a boca e verdadeiramente proclame a BÊNÇÃO de Deus sobre ela(s), profetize, através da Palavra de Deus, bênçãos de Deus, e abençoe você mesmo (a); abra a boca e abençoe a tais pessoas sinceramente (veja Rom.12.14,21; Lucas 6.28).

     Cada vez que os sentimentos retornarem (às vezes eles trazem tristeza, à nossa alma antes que a lembrança chegue à nossa consciência) DECLARE A VOCÊ que já perdoou e que aquela pessoa não lhe deve mais nada. E abençoe. Cada vez que recordar ou vier o sentimento, abençoe a pessoa;

     Lembre-se de que quem está sendo liberto (a) e curado (a) é você e não as pessoas geradoras da sua “raiz de amargura”.

     Não esqueça: A RAIZ DE AMARGURA tem “mil e um disfarces”, e a maioria dos crentes racionaliza que perdoou e espiritualiza porque se “converteu”, mas isso é engano na maioria das vezes.

     9º) Se você esteve sob o poder da “raiz de amargura” contra alguém, é provável que tenha, por causa disso, causado, também, muitos males à pessoa falado mal dela (difamado), acusado, lesado de diversas formas. Falar mal é um dos sinais da raiz de amargura. ENTÃO: reconheça e confesse tudo que tenha feito contra a pessoa, todos os males causados no seu esforço de se justificar, de vingar-se, etc.

     a) Confesse a Deus isso é pecado, primeiramente contra Ele;

     b) Procure a pessoa, confesse o que fez contra ela e peça-lhe perdão verdadeiramente;

     c) Compre um “presente”, uma “oferta de paz”, de remissão, de reconciliação em seu íntimo e espírito, e leve para a pessoa, com um coração puro. Daí para frente, não deixe os demônios terem vitória contra você, soprando pensamentos, sentimentos e atitudes de JULGAMENTO contra a pessoa.

     OBS: Dificilmente, quem está ressentido, ferido, magoado, etc., contra alguém, não revida de alguma maneira na tentativa de satisfazer a sua ira e justiça própria; mas ao fazer isso, a pessoa está aprofundando cada vez mais a sua própria “raiz de amargura”.

     ATENÇÃO: Mesmo que você tenha sido vítima e, em momento algum tenha revidado, AO PERDOAR alguém, compre e ofereça, de coração, à pessoa um presente significativo, nos termos e significado da letra “C” acima.

     10º) Como guardar o seu coração/espírito/alma/mente/sentimentos para não ser novamente atingido e aprisionado pelo espírito da “raiz de amargura”?

     a) Primeira e fundamentalmente, a Palavra de Cristo precisa habitar/enraizar-se em nós rica e abundantemente, como nos é mandado em Colossenses 3.16;

     b) Tanto para perdoar sinceramente, como para sermos guardados de cairmos novamente nessa armadilha, TEMOS QUE ENCHER o nosso espírito/alma/mente/sentimentos/coração do ensino/alimento/instrução da Palavra de Deus sobre o PERDOAR e como reagir e tratar os que nos ofendem/agridem/roubam, etc., e se fazem nossos inimigos. Eis alguns textos: Mateus 5;21-26; Mat.5.38-41; Mat.5.43-48; Mat.5.12,14,15; Mat.6.12-14; Mat.18.15-35; Mc 11.25,26; Lc 17.3,4;Atos 7.60; Rom.12.19-21;Ef.4.32; Col.3.12-15; Heb.12.14,15.

     Leia o pequeno grandioso livro “A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO”. Leia umas 5 vezes.

     Ouça e tome para você os ensinos sobre CURA INTERIOR, ministrados pela irmã Flory, à Igreja Evangélica Comunidade Jehová-Shammah, em Julho de 2005. Especialmente a primeira ministração (a introdução) e a que expôs sobre RAIZ DE AMARGURA.

     c) Temos que TOMAR A DECISÃO de não permitir e não aceitar que NADA do que alguém possa nos fazer e/ou fazer contra nós, em qualquer nível de ofensa, NOS ATINJA sentir ofendido e/ou aceitar a ofensa como ofensa é uma decisão nossa. Não IMPORTA O MAL QUE ALGUÉM POSSA NOS FAZER, se houver uma atitude perdoadora em nós, aquela flecha, dardo inflamado do maligno e do inferno, não penetrará em nós. Ao nos atingir, será neutralizado automaticamente. Aleluia!

     d) Além disso, ainda podemos ser muito abençoados e enriquecidos quando somos ofendidos, lesados, maltratados, difamados, etc., fazendo o que o Senhor nos diz em Efésios 5.18; ITessalonissenses 5.18; Colossenses 3.17: Reconhecer a bondade e cuidado de Deus e DAR GRAÇAS POR TUDO a Ele. Aliás, esse é um dos indicadores de que uma pessoa/discípulo de Jesus é cheia do Espírito Santo e de que a Palavra de Cristo, de fato, habita nela. Memorize e nunca esqueça, como alimento espiritual, a palavra de Jesus para os filhos de Deus em Mateus 5.11,12. Entenda o que Jesus instrui em Mateus 5.38-41 e coloque isso em prática em todas as situações. Aliás, tudo que está em Mateus capítulos 5,6, e 7.

     Se você não permitir ser atingido pelas ofensas e fizer o que Deus lhe diz, nunca mais o maligno, o mundo, o inferno e demônios conseguirão roubar a GRAÇA e a bênção de Deus da sua vida, e nem impedir que você seja bênção ao seu derredor, especialmente para os que o ofenderam. Você não pode desprezar o que o Senhor, em Seu amor, nos manda em Hebreus 12.14,15. Decore e coma.

     11º) Finalmente, vinculado a tudo isso, para consolidar a LIBERTAÇÃO ESPIRITUAL/EMOCIONAL EFETIVA, necessitamos entender e aplicar, em todos os níveis necessários, o ensino bíblico e o princípio espiritual bíblico de RESTITUIÇÃO.

     Em Lucas 19.1-10, temos um ensino e testemunho do que acontece com uma pessoa que encontra Jesus Cristo e em cuja casa/vida Jesus entra. Quando isso ocorreu com ZAQUEU, imediatamente (Jesus não precisou dizer-lhe uma palavra sequer) veio à consciência de Zaqueu o peso dos pecados principais que o dominava: A AVAREZA, que é idolatria (veja Col.3.5; Ef.5.5; Apoc. 21.8; I Cor.6.10).

     Ele imediatamente assumiu que a riqueza que acumulara era fruto de cobiça, e adquirida injustamente, lesando pessoas. Observe a primeira evidência de que realmente ele havia recebido Jesus Cristo (a salvação acabara de entrar no seu ser): As riquezas e honras terrenas não têm mais valor para ele irá distribuir metade do que tem com os pobres. Com isso Zaqueu foi liberto e fechou uma das principais portas que o diabo usa para destruir/matar as pessoas física e espiritualmente, seduzindo-as para o inferno.

     A segunda atitude imediata de Zaqueu, diretamente ligada às suas riquezas e à sua vida como um todo, foi reconhecer os males e prejuízos que havia causado às pessoas, e tomar a DECISÃO e INICIATIVA de RESTITUIR TUDO, e quatro vezes mais. Nessa altura, você teria dúvida de que a conversão de Zaqueu, sua rendição a Jesus fora verdadeira e total?

     O que Zaqueu declarou a Jesus, naquela hora, convenceu que ele acabara de ser transformado, a ponto de Jesus dizer o que está no verso 9. É A APLICAÇÃO PESSOAL DO ENSINO/MANDAMENTO que está em Êxodo 22.1-15. Destaque neste texto quantas vezes aparece a palavra RESTITUIÇÃO.

     Este é um princípio espiritual estabelecido por Deus: Todos os prejuízos, danos e males que causamos ao nosso próximo é algo que fazemos contra Deus; é pecado e, enquanto não houver arrependimento e a restituição devida, os demônios têm legalidade para afligir a pessoa, exercendo influência direta e controle sobre ela, e ainda acusando-as diante de Deus (Apoc.12.9,10).

     Portanto, quem quiser seguir e servir a Jesus de verdade, desfrutar da libertação e liberdade que há em Jesus, tem que NEGAR A SI MESMO (VEJA Lucas 14.25-27; Mat.16.24-28) e ao recebê-Lo em sua casa/vida, se desejar permanecer nEle e que Ele permaneça em sua casa, uma das coisas que haverá de fazer É LEVANTAR (recordar) TODOS OS MALES, FERIDAS, AGRESSÕES E PREJUÍZOS que você tenha causado às pessoas (coisas pequenas ou grandes), ao longo da sua vida, fazer a RESTITUIÇÃO, e procurar CADA PESSOA para testemunhar do seu encontro com Jesus e da transformação que Ele operou em sua vida, dizendo-lhe que por isso está procurando-a PARA PEDIR PERDÃO pelos males e danos que lhe causara enquanto estava nas trevas. Mas isso não pode ser feito artificialmente. Precisa ser diante do Senhor, na presença dEle, com temor e tremor, com arrependimento, dor e vergonha pelos males e prejuízos causados ao seu próximo. Todavia, alegre-se por sua nova vida e libertação. Agora você é herdeiro de Deus, filho legítimo.

     Todos os casos em que houver causado ou sido causa direta ou indiretamente de prejuízos materiais/financeiros à pessoa, também é necessária a DEVOLUÇÃO DE TUDO, com valores atualizados.

     O princípio espiritual da restituição inclui reconhecimento e arrependimento espiritual diante de Deus, com a confissão de pecados correspondentes (não é porque naquele tempo você não estava em Cristo, que tais atitudes e atos não foram pecados contra Deus todos os pecados dos ímpios são contra Deus). Em seguida, procure cada pessoa, testemunhe o que Jesus lhe fez e confesse TODOS os males causados a ela quando você estava nas trevas. Peça-lhe perdão, em nome de Jesus e RESTITUA todo e qualquer prejuízo material que lhe tenha causado. Entenda o que está em Êxodo 22.1-15, e não se esqueça dos sinais da conversão de Zaqueu.

RESUMINDO E MEMORIZANDO

     Junto à FÉ-RENDIÇÃO total a Jesus Cristo como Senhor absoluto, para fechar todas as portas abertas ao diabo/demônios, e vir a desfrutar plenamente da LIBERTAÇÃO/SALVAÇÃO que está em Cristo, viver a vida vitoriosa, e abundante dEle contra o diabo, a carne e o mundo, cheio da Palavra de Cristo e do Espírito Santo, TRÊS atos/ações/atitudes espirituais precisam ser realizados e confirmados com claro e comprometido entendimento bíblico-espiritual:

     1º) Quebrar, rasgar, romper, cancelar TODOS os pactos feitos, em qualquer nível, com o império das trevas/do diabo/dos demônios antes da conversão; tanto os pactos FORMAIS e os INFORMAIS, inclusive os que decorrem da HERANÇA FAMILIAR, porque a Palavra de Deus revela que Deus visita a iniqüidade/maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que O aborrecem Reveja: Êxodo 20.3-5, e 6; Deut. 5.7-9; Êxodo 34.7; Daniel 9.8(5-8); Levítico 26.39-42; Gálatas 3.13,14;

     2º) Arrancar devidamente do nosso coração/alma/mente/sentimentos/emoções [...]. TUDO que corresponda à “raiz de amargura”. Decore e recorde sempre a revelação de Hebreus 12.15. Esta é uma porta larga para os demônios na vida das pessoas. Crentes verdadeiros que, em qualquer época das suas vidas e circunstâncias, abrirem essa porta em vez de fechá-la, cairão, e além de sofrerem muito nas mãos dos verdugos (Mat.18.34,35), contaminarão e continuarão contaminando as pessoas ao redor deles;

     3º) Não deixe NADA para trás dos males e/ou prejuízos que tenha causado a qualquer pessoa, ao longo da sua vida, em qualquer circunstância. O mandamento e o princípio espiritual da RESTITUIÇÃO estarão em vigor até Jesus voltar. Não invente justificativas e desculpas, porque TODA INJUSTIÇA que alguém pratica contra o seu próximo clamará por justiça diante de Deus e o diabo (demônios) reivindicará, diante de Deus, por causa da(s) injustiça(s) causada(s), o direito de afligir, roubar/matar/destruir os que tais injustiças praticam e ainda insistirá para afetar os seus descendentes. Além disso, o diabo (demônios) se levanta como acusador dos filhos de Deus diante do próprio Deus e dos homens; acusando-os para afrontar a Deus por causa da má conduta dos Seus filhos, e incitá-Lo a exercer Sua justiça punitiva, e não a Sua graça sobre nós veja Apocalipse 12.10 (9 a 11). Não esqueça Efésios 4.27 e 6.12 (10-14); II Coríntios 10.3-16; Gálatas 6.7,8 e Hebreus 12.1.

     Então, amados, vamos correndo porque já estamos na última “estação profética” e o desfecho de todas as coisas se aproxima. Não podemos permitir manchas e rugas em nenhum de nós, se de fato somos a NOIVA do Cordeiro (Efésios 5.25-27; Apocalipse 19.7-9; II Coríntios 7.1).

 

Versículo do Dia

Jo 1:39

"Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

26 - MENSAGEM

     Todas as vezes que o diabo disse a alguém: “É o fim”, ali, na verdade, era o começo dos melhores dias, das maiores vitórias, dos melhores momentos. O...

148 - O SOL E O VENTO...

     O sol e o vento discutiam sobre qual dos dois era mais forte.      O vento disse:      - Provarei que sou o mais forte.      Vê aquela...

98 - O PRINCIPAL NA VIDA...

     Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia: "Entre e...

94 - DEMÔNIOS NA BICICLETA?

     Esse relato foi encaminhado pelo Pastor Silas Quirino para estar no site. É um relato verídico. Pode ser que sirva de ajuda para muitas famílias.      Era dia...

181 - GRATIDÃO

     O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximou da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrine.    ...