Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

FILOSOFIA BÍBLICA DE MINISTÉRIO

 ESTRUTURA DA IGREJA 

BASE CORPORATIVA


FILOSOFIA BÍBLICA DE MINISTÉRIO

 

CONCEITUAÇÃO

     Uma filosofia de ministério pode ser considerada bíblica quando a sua origem e dinâmica são extraídas de uma teologia biblicamente bíblica, se identificando com o modelo ensinado ou exemplificado nas Escrituras.

PASSOS PARA AQUISIÇÃO DE UMA FILOSOFIA BÍBLICA DE MINISTÉRIO

     A assimilação de uma Teologia Bíblica da Igreja, da natureza e propósito da Igreja ensinada por Jesus e revelada pelo Espírito Santo no N.T.

     A percepção do modelo pastoral de Jesus em todas as suas dimensões.

     A assimilação do ensino e modelo pastoral dos Apóstolos, especificamente (especialmente) do Apóstolo Paulo, que além do seu exemplo de vida, nos dá orientações específicas acerca da natureza e propósitos do pastorado nas Epístolas de sua palavra.

NECESSIDADE DE UMA FILOSOFIA BÍBLICA DE MINISTÉRIO

     O fato de que o pastor é o elemento homem responsável pela qualidade de vida da Igreja, pela visão da Igreja de ser Igreja e pela exposição Bíblica ou não da Igreja como CORPO e CORPO de CRISTO e da consciência individual dos seus membros como membros de Cristo e como corpo de Cristo e membros uns dos outros (Atos 20:17,28; I Tessalonicenses 1:3; I Tm. 3; Apocalipse 2).

     O fato da influência sutil e imensa dos valores deste século, aqui estamos permanentemente expostos no dia a dia, que apesar de sutil, tenta nos impor de forma violenta os seus valores, princípios e métodos.

     O risco que corremos de fazer da Igreja uma expressão da nossa imagem (e não de Cristo), através dos nossos conceitos (vindos do nosso EGO), dos nossos preconceitos, formação e depreciações.

     A realidade da pressão e opressão que recebemos do deus deste século, procurando nos cegar (II Cor.4:4) nos desestimular e nos desviar dos alvos bíblicos para as nossas vidas e para a vida da Igreja como corpo e dos seus membros individualmente.

     A necessidade que o pastor tem de identificar as suas prioridades de seu trabalho a luz da Palavra de Deus, e colocá-las em ordem, a fim de não ser absolvido pelas muitas pressões que recebe e para que não seja vencido pela tirania do urgente em detrimento do NECESSÁRIO.

     O fato de que sem filosofia de ministério consciente, o pastor não tem consciência do seu próprio trabalho, enquanto fica limitado ou bloqueado para adquirir a visão bíblica dos alvos de Deus para a Igreja. Fica sem saber para onde CONDUZIR a Igreja, não tem alvos específicos e alvos para o seu trabalho e em decorrência ele e a Igreja ficam girando em círculo, sem saber para onde ir, vivem como que batendo no ar (ele e a Igreja ficam como os ISRAELITAS rodeando em volta das bênçãos a eles prometidas. Enquanto o pastor vive a repetir conceitos de outros sem experimentá-los (a capa de Saul em Davi) a repetir formas e estereótipos diversos (estereotipia repetições inconsciente; amaneirados, permanência em posições estranhas, etc., que chegam a ser sintomas de esquizofrenia) e fugindo da realidade.

     Porque a ausência de uma filosofia bíblica de ministério traz muito prejuízo ao pastor:

è Diante de Deus Jer. 23:15; Ez. 34:2; Is. 23:4; I Tm. 1:12;

è Diante de si mesmo At. 20:28; I Cor. 9:27;

è Diante de sua família I Tm. 3:4,5; Tito 1:6;

è Diante da Igreja Ef. 4:11-16; At. 20:26,27.

     Porque por mais estranho que possa parecer é a filosofia de ministério que irá determinar a filosofia de vida do pastor. Sua filosofia de vida é em geral decorrência da sua filosofia de ministério, uma estará ligada a outra, elas se completam. É da sua filosofia de ministério e de vida que vem a sua visão de ministério pastoral (se integral ou dividido), os limites do seu envolvimento em atividades do cristianismo, o seu investimento em preparação pessoal (aquisição de livros, tempo semanal para estudos e leituras, decisão para fazer outros cursos, ter propósitos reais nestes cursos).

     A percepção teológica É grande a influência da nossa filosofia de ministério em nossa percepção teológica. Pastor sem filosofia de ministério definida e consciente, tem conceitos teológicos pobres e dificilmente crescem na reflexão teológica e no aperfeiçoamento teológico VIVO.

     Sem filosofia de ministério o pastor fica impaciente para esperar as pessoas crescerem em Cristo (Gal. 4:19; Ef. 4;13).

     O exemplo mais detalhado de uma filosofia de ministério consciente está em I Cor. 9:15-17.

A REALIZAÇÃO PESSOAL DO PASTOR

      Nada nesta vida é incompreendido e tão difícil de se realizar quanto o ministério pastoral. É incompreendido dentro e fora da Igreja. Fora ou não, o pastor é visto como uma pessoa anormal na sociedade. Até a sua família é descriminada. Muitas situações que envolvem a sua pessoa e seu trabalho tendem a deprimí-lo e produzir um sentido de que o ministério que Deus lhe confiou é um FARDO NEGATIVO (o que não faz parte dos propósitos de Deus Heb. 13:17).

     Ainda que a natureza e as implicações do ministério pastoral sejam tão características, é propósito de Deus que o pastor se realize plenamente como pessoa, no exercício de tão sublime atividade. Verifique o testemunho de Jesus e compare Hebreus 12:2,3 com João 15:11 e 17:13. Veja também At. 20:24.

Conclusão:

     Um pastor sem filosofia de ministério tende a viver frustrado, amargurado com a Igreja, com as circunstâncias e com o próprio ministério, transfere-se de Igrejas sem motivos bíblicos, tem dificuldades para encerrar um pastorado ou ministério pastoral e no final da vida, se for honesto, terá dificuldades para dizer a si mesmo “combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé.” II Tm. 4:7

     Uma filosofia bíblica de ministério é um instrumento que Deus usa para liderar o pastor nos Seus propósitos para com a Sua Igreja e para a realização diária e final do pastor que tem a alegria de realizar um ministério consciente e responsável.

CENTRALIDADE DE UMA FILOSOFIA BÍBLICA DE MINISTÉRIO

     Na experiência existencial da Igreja como Corpo de Cristo - João 17.

     No equipamento de cada servo para o exercício consciente do seu ministério pessoal Ef. 4.

     No reconhecimento das prioridades do ministério Atos 6:4; I Tm. e II Tm.

     Na coragem para o posicionamento diante das prioridades Autodisciplina I Cor. 9:25-27.

     No reconhecimento da nossa verdadeira posição como líderes no Corpo de Cristo.

     Somos servos Paulo - Atos 20:24-2.

     Humildade - Mat. 11:29.

     Somos Igreja Ef. 1:22,23.

     Ser instrumento para que a Igreja viva conforme os propósitos de Deus para a sua existência neste tempo na terra, (confira a carta aos Efésios), que são:

     Ser e viver como Corpo de Cristo;

     Ser e viver para a expressão e louvor da glória de Deus;

     Ser expressão da comunhão existencial da Triunidade, através da comunhão dos salvos entre si;

     Ser testemunha da presença e do poder operante de Deus em todas as circunstâncias - I Ped. 2:5.

     Ser instrumento para que todos ouçam a mensagem pessoal e o poder de Deus e para que o mundo veja os resultados da salvação na vida dos salvos e da Igreja como Corpo de Cristo.

     Uma mensagem Biblicamente Bíblica de ter:

               ? Vocação ministerial (chamado);

                    Conceito Histórico (geral);

               ? Teologia exegética;

                    Contextualização

     Revelação espiritual (sabedoria e conhecimento).

VISÃO PANORÂMICA DA HISTÓRIA DA IGREJA

ROTEIRO:

     1 - O início dos fundamentos da igreja;

          - O fundamento desta Igreja (JESUS CRISTO) Mateus 16:16-19 Espírito Santo, doze apóstolos;

          - A responsabilidade desta Igreja. Mateus 16:18-19 Quebrar as portas do inferno;

          - A direção que a Igreja deve ter João 13:34-35 Amor vivido;

          - O direcionador da Igreja João 14:16-26 Espírito Santo;

          - A unção da Igreja, e a ordem de Jesus. Atos 1:8 Espírito Santo.

     2 - O início da Igreja

          - A Primeira proclamação pública dos discípulos (Atos 2:14)

          - Os primeiros salvos, pela graça mediante a proclamação do Reino de Deus. Atos 2:37-47

          - Aproximadamente dois dias depois disto, outro acréscimo a Igreja. Atos 4:4

     2.1 - O estilo de vida da Igreja primitiva

     Este consistia em quatro elementos básicos para o andamento:

          1 - O estudo da doutrina dos apóstolos.

          2 - Comunhão entre os crentes Amor.

          3 - O partir do Pão.

          4 - Oração juntos e individual (vida de oração). Atos 2:42

     2.2 - A conquista de Jerusalém para Jesus Cristo

          - O plano era reunião de casa em casa.

          - Perseverar na Doutrina dos apóstolos

          - Conservar e lutar pelo amor

          - Vida intensa de oração e evangelismo. Atos 5:28

     2.3 - Como acontecia o crescimento tão rápido da Igreja

          - A proclamação da paz

          - As curas em geral 

          - A proclamação do Reino

     3 - O Evangelho em Samaria

          - A perseguição em Jerusalém 

          - O início da Igreja em Samaria

     4 - O Evangelho em Antioquia

          - Algumas semanas mais tarde o Evangelho é anunciado: olhe a graça de Deus Atos 11:19-26

          - O primeiro pastor desta igreja gentílica.

          - Barnabé e este convida Saulo para ajudá-lo. Que manifestação da graça. Não acha?!

     5 - As primeiras Missões

          - A Igreja em Antioquia envia Barnabé e agora Paulo, para levarem o evangelho às outras cidades das regiões distantes da Judéia.

     6 - O Evangelho em Éfeso

          - A primeira proclamação: Atos 18:19-21

          - A conquista de Éfeso: Atos 19:9-20

          - A derrota de satanás em Éfeso, com a queda de Diana sua potestade. Atos 19:18-20

     7 - As demais regiões conquistadas: Atos 19:21-22

          - Toda a Ásia é varrida pelo Evangelho

          - Todo o Noroeste da Europa também é varrido pelo Evangelho. Atos 19:21-22

     Notem bem que a perseverança das igrejas no sistema de grupos de comunhão em casas era constante na Igreja do primeiro século e o evangelismo de oração era o meio e nós estamos neste início. Pense nisso.

  

Versículo do Dia

Lv 13:12

"E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

65 - DEUS NUNCA ERRA

     Há muito, muito tempo, num reino distante, havia um rei que não acreditava na bondade de DEUS. Havia, porém, um súdito que em todas as situações lhe dizia:...

30 - A DEVIDA ATENÇÃO A JESUS

     Jesus estava na casa de um certo Simão participando de uma refeição junto com os fariseus, uma seita que vivia fazendo oposição a Ele, a Cristo. Entretanto, Jesus...

181 - GRATIDÃO

     O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximou da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrine.    ...

6 - O MILAGRE DO AMOR DE DEUS

      Como qualquer mãe, quando Karen soube que um bebê estava a caminho, fez todo o possível para ajudar o seu outro filho, Michael, com três anos de idade...

48 - PACOTE DE BOLACHAS

     “Uma moça estava a espera de seu vôo, na sala de embarque de um grande aeroporto. Como ela deveria esperar por muitas horas, resolveu comprar um livro para...