Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

205 - A VIDA BÍBLICA DA IGREJA

  

Tiago 2:1-4; 5:19, 20

A palavra de Deus nos admoesta

     A advertência é clara. Você pode considerar-se um cristão, mas, se odeia o irmão, está em trevas (I João 2:11). Se você odeia seu irmão, isto significa que não tem a vida eterna em si (I João 3:15). Se odeia seu irmão, não finja para si mesmo que ama a Deus, porque não é verdade. Está enganando a si próprio. Você é mentiroso, se afirmar que ama a Deus e, ainda assim, odeia seu irmão (I João 4:20). Além do mais, esta não é uma questão de palavra, mas de atos. É hipocrisia lisonjear seu irmão e depois feri-lo pelas costas. 

     Você pode dizer que só toquei no lado negativo da questão, pois bem, seja positivo! Você ama seus irmãos? Se é assim, você está preparado para DAR sua vida por eles? (João 3:16). Pense no irmão que você mesmo ama e gosta. Está preparado para DAR sua vida por ele? Esse pensamento parece irreal. Não será isto uma hipérbole (figura que engrandece ou diminui exageradamente a verdade das coisas), usada para nos incitar a sacrificar nossas vidas em serviço de outros? Não teria isto o propósito de nos desafiar quanto ao darmos de nós mesmos em favor de outros? Você é fiel quanto a esses assuntos tão básicos? Se amarmos nossos irmãos, então seremos práticos no ato de DAR de nós mesmos, e não seremos seletivos, dizendo que estamos preparados para ajudar apenas os que estão em necessidades e dos quais gostamos, e não os que não gostamos (I João 3:17, Tiago 2:1-4, 14-19).

     Quando começarmos a orar por um derramamento do Espírito Santo, então, o amoroso cuidado mútuo abundará em nossa Igreja. A palavra pregada será poderosa. E, todos os necessitados serão incluídos no ENVOLVIMENTO DO AMOR, DO CUIDADO MÚTUO E DA UNIDADE para a glória do nosso grande Redentor, o Cordeiro de Deus.

ADMOESTAÇÃO E REPREENSÃO

     Vamos colocar cinco pontos básicos para a admoestação e repreensão em nossa Igreja.

1) Seria tão bom se a preservação da comunhão fosse possível sem isso! Mas não é, pois, foi o próprio Deus e nosso Pai, que nos conhece, que assim estabeleceu. A fim de preservar nossa comunhão com Ele, encarregou-nos e recomenda-nos a exercitar essas duas coisas entre nós, como seus filhos, sua família, sua Igreja na terra, a fim de que haja comunhão do Espírito e unidade na expressão de cada Igreja, mas, em princípio, isso é tão difícil e tão pesado, que gostaríamos de lhe pedir “PASSA DE MIM ESTE CÁLICE”.

2) Por que a admoestação e repreensão são tão necessárias para preservar a comunhão da Igreja, a comunhão entre os irmãos e a própria comunhão com Deus? É porque, como vimos, O QUE IMPEDE A COMUNHÃO E O QUE A QUEBRA ENTRE CRENTES É O PECADO.

3) Um crente que peca contra o outro, quebra a comunhão com ele e afeta a Igreja toda. Veja: (Fil. 4:2). Há muitas formas de um crente pecar contra outros crentes. Imagine e visualize pelo menos umas cinco. Isso se tornou tão comum entre os crentes que até parece ser algo correto. Mas, veja (Is. 5:20,21). Todo pecado que um crente comete contra seu irmão, qualquer pessoa e, antes de tudo, pecado contra Deus. Aliás, é por isso que é pecado, porque é contra Deus.

4) Sempre que um crente estiver de forma pecaminosa, em qualquer área da sua vida, ele fica automaticamente sem comunhão com Deus e sem comunhão com quem convive, (inclusive o mau relacionamento entre marido e mulher. Veja I Pedro 3:7. Vivendo de forma pecaminosa, o crente se distancia dos irmãos em Cristo, e ainda que queira manter as aparências , percebe-se que há algo errado, estranho e distante. Algo que não deixa UNIR, que impede, que bloqueia a comunhão, isso é automático (na verdade, o crente vivendo com algum pecado, isola-se dentro de si mesmo. Vive só. Ele sequer consegue ter comunhão com ele mesmo, nem com os ímpios, mesmo agindo com eles ou fazendo o que eles fazem, pois entre os ímpios não há comunhão. Além disso, os ímpios não acreditam na pessoa do crente ou do que se diz crente e age como eles). Aí está a razão por que a COMUNHÃO E A UNIDADE da Igreja só pode ser preservada se os salvos forem fiéis em admoestar e repreender uns aos outros com palavras de Deus. O objetivo da admoestação é ajudar as pessoas a sair do pecado. Ajudá-las a perceber a sua realidade, a reconhecer seu estado, a arrepender-se e sair do pecado, que cega, escraviza e mata. (Tg. 5:29,30; I Cor. 11:38-32; I João 5:16)

5) ADMOESTAÇÃO E REPREENÇÃO: São componentes da disciplina bíblica da Igreja, para compreendê-las e exercitá-las pode ver o precioso e bíblico estudo no livro “DISCIPLINA NA IGREJA” do Pr. Russel Shedd, nas páginas 25 a 32, se o irmão puder adquiri-lo será de grande valia. Quando estudamos o assunto foi porque percebemos que sem o exercício da disciplina bíblica é impossível haver comunhão na igreja, bem como entre membros do Corpo como filhos de Deus e irmãos em Cristo. Agora chegou o momento que não podemos mais evitar o seu exercício. Se o irmão, e se cada irmão fizer o que Deus nos manda fazer, será doloroso no princípio, talvez sempre o será, mas a nossa vitória sobre satanás será sempre marcante. O nosso gozo espiritual será a nossa maior realização na terra, e mais do que qualquer outra coisa, a santidade e a glória de Deus serão manifestadas em nós e através de nós. Reflita nos mandamentos de I Tessalonicenses 5:14; Mateus 18: 15-17 e Gálatas 6:1. Se cada um de nós não fizer o que o Senhor nos recomenda nesses textos, com certeza, Deus não poderá nos usar na edificação da sua Igreja, porque jamais desfrutaremos da comunhão do Espírito Santo como Igreja de Jesus Cristo.

     Nesta semana, esforce-se todos os dias, para descobrir se há alguma maldade no seu coração contra algum irmão.

ADMOESTAÇÃO E REPREEMÇÃO: ELOS DA COMUNHÃO DA IGREJA  (LEVÍTIVO 19:17,18)

     Todos os que realmente estão estudando este assunto conforme já recomendamos, já sabem o que é admoestação e repreensão, e por que são tão fundamentais para criar e preserva a comunhão e unidade na Igreja, a fim de que a Igreja, viva como Corpo de Cristo e seja reflexo da Glória de Deus no mundo. Um mundo que é todo trevas. 

     Ainda que não seja tão fácil, quando se entende o que é admoestação e repreensão e quais as suas dimensões, percebe-se que não é tão difícil assim, o que faz parecer tão difícil é a forma como a Bíblia coloca a nossa responsabilidade para com esses ministérios. (Ez. 33:8; Lev. 19:11-18; Mat. 18:15). Além disso, mais três coisas aumentam as dificuldades. São elas:

     A) Na experiência das Igrejas e dos crentes, é tamanha a raridade da prática deste ensino tão repetido, exemplificado e tão desafiado nas escrituras, que até parece ser novidade. O Pr. Shedd compara na página 28 do livro “Disciplina na Igreja” a raridade de uma Igreja que vive de acordo com estes modelos bíblicos, com a raridade total do sol.

     B) Além disso, pelas razões acima, o que há, é esse respeito, ou seja, um desconhecimento e despreparo total dos crentes a esse respeito, gerando esse temor, medo, insegurança, etc.

     C) E, sem dúvida, estão às estratégias do inimigo para neutralizar a vida bíblica dos salvos e da Igreja, posto que, o seu trabalho mais habilidoso contra a Igreja é contra a sua unidade e comunhão (João 17:20; I João 3:10-17), pois sabe que sem o exercício bíblico da admoestação e repreensão, a imaturidade das pessoas e as dificuldades de relacionamento e comunicação transformam-se em pecados, que são suficientes para manter os crentes presos nos mais discretos pecados. Isso é suficiente para mantê-los anulados no Reino de Deus e na Igreja de Jesus Cristo. Separados, interiormente, uns dos outros. Os crentes não permitem que a Igreja viva como Corpo de Cristo (Rom. 12; I Co. 12: 12-27; Ef. 4:1-16).

     A luz do significado bíblico das duas experiências (AMOESTAÇÃO E REPREENSÃO) podemos substituí-las por outra confrontação, porque este é o sentido prático que elas mostram.

DIMENSÕES DA CONFRONTAÇÃO BÍBLICA (Colossenses 1:27,28)

     Para um esclarecimento melhor acerca da dimensão da confrontação, dentro dos padrões Bíblicos, vamos dividir em oito partes esta dimensão que são:

1) A primeira dimensão é o DISCIPULADO = Fazer discípulos (Aprendizes permanentes, seguidores conscientes e servos obedientes de Jesus Cisto) é uma das ordens mais solenes de Jesus aos seus discípulos (Mt. 28:19-20), que é impossível de ser executada sem confrontação, sem admoestação. A evangelização somente é discipular e eficiente quando a pessoa é chamada (ADMOESTADA) a reconhecer a sua condição de pecadora perdida, separada de Deus, toda evangelização de fato é CONFRONTADORA a condição da pessoa em relação a Deus e a vida eterna é colocada diante dela mesma; além disso, é carregada de advertência. Era “ADMOESTAÇÃO A TODO O HOMEM” que o apóstolo Paulo evangelizava (Cl. 1:27,28). Confira também (Lc. 13:3-5; Mc. 1:15; Atos 2:22-23, 34-40; Atos 17:30; Atos 8:18-24; II Pedro 3:9; Lc. 24:47). Todo o processo de arrependimento se inicia quando a pessoa é confrontada. Se a pessoa não for convencida de erro, de pecado, jamais se arrepende. Além disso, a mensagem bíblica é toda advertência (João 16:1-8). Advertência contra as consequências do pecado.

2) Ajudar os Salvos a tornarem-se DISCÍPULOS MADUROS, adultos. A admoestação tem como propósito a MATURIDADE DOS CRENTES e para isso todos precisam de Admoestação, confrontação, de advertência (Heb. 12:5). Este é o propósito das Escrituras Veja II Tm. 3:16, 17; 4:2; I Cor. 13:1-3; Heb. 5:11-14). O testemunho bíblico, especialmente das Epístolas Pastorais, é para nos tornarmos crentes maduros (perfeitos), adultos na fé. O ensino que recebemos precisa ser marcado pela confrontação total. Confira (Tito 2:1-6). A natureza da Bíblia, em sua quase totalidade, é confrontadora. Veja (II Tm. 3:15,16).

3) PRESERVAR A SANTIDADE E A SANTIFICAÇÃO CONTÍNUA DOS SALVOS. A admoestação, advertência e a repreensão que se dão por meio da confrontação têm, de forma muito forte, essa dimensão, que é proteger o salvo contra o pecado e/ou tirá-lo do pecado. De todo e qualquer tipo de pecado. Pecados de temperamento, de relacionamentos, de irresponsabilidade, de omissão, de fuga, de avareza, de maledicência, de mentira, de desonestidade, de mentalidade mundana, de cobiça, etc., a fim de que a vida global dos servos de Deus seja pura de fato, seja santa e em processo de santificação contínua. (Heb. 12:10; Tito 3:1-11; 2:11-15; Heb. 12:12 até 13:1; I ped. 1:13-22; I Tes. 3:12 até 4:2, etc.). Se deixarmos de admoestar, de advertir e até de repreender uns aos outros, como Igreja, nos tornamos todos culpados dos pecados uns dos outros e responsáveis pela pobreza espiritual da Igreja. Pense nisso!

4) AJUDA UNS AOS OUTROS A IDENTIFICAR SUAS FRAQUEZAS E VENCÊ-LAS. Fraquezas que podem variar desde brincadeiras até maus hábitos e atitudes que agridem, etc. A admoestação, neste sentido visa convencer a pessoa dos males que ela causa às pessoas, atrapalhando a edificação e a comunhão do Corpo (Rom. 15:1-3). As pessoas orgulhosas geralmente se sentem ofendidas quando confrontadas com tais fraquezas, mas as que são crentes mesmo, ficam agradecidas. Fazer isto é uma grande prova de AMOR.

5) PERSEVERAR A COMUNHÃO, A AMIZADE, A CONFIANÇA ENTRE OS SALVOS COMO FAMÍLIA DE DEUS E PRESERVAR A UNIDADE DA IGREJA. Sempre que um crente ofende o outro ou a qualquer pessoa, ele peca. Isso afeta a comunhão da Igreja. O crente que se sente ofendido também peca. E isso afeta a comunhão entre ele e o ofensor, e atinge o Corpo da Igreja. Portanto, cada vez que um crente tiver a infelicidade de ofender, de pecar contra seu irmão, deve apressar-se em reparar o seu erro. Cada vez que um crente sentir-se ofendido, atingido, ferido por outro, Jesus manda que vá até ele a fim de não permitir que rompa a comunhão entre eles, e tais pecados não venham afetar a UNIDADE do CORPO (Mat. 18:15 a 17; Rom. 12:17-21; Fil. 4:2; Col. 3:13).

     OBS: Crentes que se sentem ofendidos facilmente também precisam de ADMOESTAÇÃO. E muito! Isso é uma manifestação pecaminosa, é sinal de criancice, de infantilidade. Aliás, um crente normal não se sente ofendido. Olhe o que Jesus nos diz em Mat. 5:38-48. Ele mesmo é o nosso exemplo (I Ped. 2:21-24; Rom. 12:17. Sentir-se ofendido já é um sentimento pecaminoso. Mas não se sentir ofendido não significa ignorar a atitude ou mal que está fazendo, se não ele continuará com aquele pecado, que afeta o Corpo.

6) LEVANTAR O CRENTE QUE SE PROSTA EM MEIO A SITUAÇÕES DIFÍCEIS. Quando isso acontece, a exortação é no sentido de admoestar e até de repreensão. Esse é um dos sentidos de I Tessalonicenses 5:14.

7) RECUPERAR O CRENTE QUE TEM A INFELICIDADE DE CAIR EM ALGUM PECADO (Mat. 18:15-17; Gal. 6:1,2; II Tes. 3:11-16; I Cor. 5:1-13; I TIM. 1:18-20; Tito 3:10,11. (Observe o desfecho que a Bíblia manda dar àqueles que insistem em permanecer no pecado qualquer tipo de pecado.

8) PRESERVAR A INTEGRIDADE E A SANTIDADE DA IGREJA PARA QUE A PALAVRA DE DEUS E O NOME DE JESUS NÃO SEJAM BRASFEMADOS. (Tito 2:1-6; Heb. 10:25-31; I Tes. 5:13; II Tes. 3:11; 1:3-12). Pense nisso!

CONCLUSÃO:

1) Somente haverá unidade e comunhão na Igreja se os seus membros não descuidarem e não fugirem dessa responsabilidade. Evitar e fugir são pecado (Tiago 4:17). A negligência a esse ministério faz com que todos na Igreja se tornem responsáveis pelos pecados de todos. É uma igreja vivendo escravizada pelo pecado.

2) Medite atentamente nas advertências de (Levítico 19:17,18; Ezequiel 33:8,9).

3) Admoestar e repreender é uma responsabilidade que Deus dá a todos os que são salvos a fim de preservar a santidade, a pureza e a comunhão a unidade da sua Igreja na terra, fazer isso é honrá-lo.

4) Fazer isso é prova de profundo AMOR CRISTÃO. É evitar que um irmão caia no abismo do pecado e fique dominado pelos pecados do diabo.

CONFRONTAÇÃO: COMO MINISTRÁ-LA? (Ezequiel 33:8,9 e Levítico 19:17,18)

1) No estudo anterior vimos que a confrontação é a ação, a prática, e o exercício da Admoestação e da repreensão. Portanto, todas as vezes que empregamos a palavra é disso que estamos ou estaremos falando.

2) Conforme os irmãos já estudaram, admoestação e/ou advertência, consiste:

     No anúncio de um perigo que deve ser evitado.

     No esforço para convencer a pessoa que está tomando ou entrando num caminho errado, à luz do ensino bíblico da Palavra de Deus, a não fazer isso; consistindo em mostrarlhe os resultados, as consequências, o destino ou o fim que o tal caminho ou atitude lhe levará. Entre os muitos exemplos bíblicos, temos Deus com Adão (Gên. 2:16,17) e com Caim (Gên. 4:3-7).

     É uma ação em situações onde se pressupõe erro de pensamento ou atitude que através da persuasão (esforço para convencer) sábios e pacientes, deve ser corrigido.

     No esforço para convencer a pessoa de que ela está errada no pensamento que está alimentando ou na atitude que está tomando ou no caminho que está vendo (Tito 3:10,11; Mt. 18:15-17).

3) É muito rica de detalhes a palavra empregada no Novo Testamento para repreensão. Ela mostra o que é, como fazer o propósito e o desfecho final que necessita ser dado. Assimile, portanto:

     REPREENDER: É trazer à luz, expor, tornar evidente, demonstrar. É mostrar à pessoa o erro, e expor a pessoa face a face com o seu erro, atitude ou pensamento. É a confrontação. REPREENDER: é convencer. É expor o quadro da pessoa diante dela de tal maneira que ela seja convencida e tenha convicção de ter errado ou de estar errada. O exemplo mais evidente é o profeta Natã com o Rei DAVI (II Sam. 12), os obstinados e sem salvação geralmente resistem a serem convencidos. REPREENDER é disciplinar, punir, condenar, etc.

O QUE É CONFRONTAR?

1) Quanto ao significado, é a síntese da admoestação e advertência, da repreensão e convicção.

2) Quanto à ação, é o ato de colocar a pessoa frente com a sua falta, com o seu erro, com a sua atitude contrária à palavra de Deus e ao significado da vida Cristã, com o seu pecado, visando convencê-la para que se arrependa e mude de atitude.

POR QUE PRECISAMOS FAZER ISSO COM A IGREJA?

1) Por causa do pecado e suas consequências na vida do crente e da igreja. O pecado (em qualquer das suas formas) na vida do crente faz dele um prisioneiro do diabo. É como um sequestro. O Diabo fica com o crente, que não é dele, em suas mãos. E ele é tão sutil, que consegue que o crente sequestrado não perceba isso; daí a necessidade de confronto, para ele perceber a sua condição, o seu estado.

2) Para evitar que as dificuldades ou coisas justas, corretas, sejam mal compreendidas, transformem em pecados fazendo do crente um prisioneiro de Satanás.

COMO CONFRONTAR UNS AOS OUTROS

1) Em Romanos 15:14, as escrituras nos dizem que precisamos ser cheios de bondade e de conhecimento (da parte de Deus). Colossenses 3:16 acrescenta mais detalhes. A encarnação de Cl. 3:12 é fundamental.

2) Em Gálatas 6:1 o Senhor nos diz que esse trabalho precisa ser feito com espírito de mansidão. É a longanimidade que permite ao crente continuar com o espírito de mansidão, mesmo sendo rejeitado e agredido.

3) As recomendações a esse respeito, dadas a Timóteo (I Tm 5:1,2), são extensivas a todos os crentes no exercício desse ministério. Há orientação acerca da repreensão a idosos e jovens, homens e mulheres. Anote e destaque o que ali está.

4) Em alguns circuitos é necessário que haja bastante rigor, que se use uma linguagem dura, mas santa, de um coração manso e puro; nunca por motivos pessoais ou vingança. Dos muitos exemplos que vemos em Jesus, estão os de Mateus 23. João, o Batista também (Mat. 3:7-10). O apóstolo Paulo precisou fazer dessa forma publicamente, com o apóstolo Pedro (Gl. 2:11-13) e o apóstolo Pedro respondeu como crente mesmo; corrigiu-se continuando grande amigo de Paulo Confira II Ped. 3:15. Veja também I Tm 1:20 e Tito 3:10, 11.

“Ele não permitirá que os seus pés vacilem.” Sl. 121:3

No Amor em Cristo,

seu Conservo, amigo e

Pr. Dalton Ramos

 

Versículo do Dia

Sl 48:9

"Lembramo-nos, ó Deus, da tua benignidade, no meio do teu templo. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

230 - VOCÊ AGRADA TODO MUNDO?

       Um açougueiro estava em sua loja e ficou surpreso quando um cachorro entrou. Ele espantou o cachorro, mas logo o cãozinho voltou. Novamente ele tentou espantá-lo, foi quando...

26 - MENSAGEM

     Todas as vezes que o diabo disse a alguém: “É o fim”, ali, na verdade, era o começo dos melhores dias, das maiores vitórias, dos melhores momentos. O...

174 - A FONTE DE ÁGUA VIVA!

     Quando você está com sede, nada é tão bom quanto um copo de água fresca! É claro que a água só satisfaz você temporariamente. Depois, você tem necessidade...

97 - PEDIDO DE AMOR

     "Quando é o seu coração que pede, saiba que você já foi atendido mesmo antes de fazer o pedido."      Havia uma linda princesa chamada Noa. Todos os...

ESPECIAL - PASTOR SILAS QUIRINO

De: Pastor Silas  Para: As ovelhas do Senhor Jesus Cristo      Compartilhamento do pastor Silas recebido de uns irmãos. Este tem trazido peso em seu espírito, e a você, para a...