Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

68 - ADORADORES E ADORAÇÃO V

(Indicações proféticas para avaliação pessoal)

Ouça a Palavra do Deus Vivo em seu Espírito!

     1 “[...] Deus é Espírito, e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade[...]”(João 4:24).

     2 “[...] Portanto, irmãos, tendo ousadia para entrar no Santo dos santos, pelo sangue de Jesus (ousadia: plena confiança de que seremos aceitos e recebidos por Deus, que é santíssimo, e não seremos queimados, fulminados devido à nossa pecaminosidade; só nos é possível entrar na presença de Deus, adorá-Lo no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus, que Deus mesmo ofereceu na cruz em nosso lugar). Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero (verdadeiro) e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos (pelo sangue de Cristo) para nos purificar de uma consciência culpada e tendo nossos corpos lavados com água pura (limpeza, santidade que decorra da presença e do selo do Espírito Santo Efésios 4:30 e 1:13) [...] Não deixemos de reunir-nos como Igreja, segundo o costume de alguns [...]” Hebreus 10:25, na Bíblia Viva está assim:

     “[...] Não descuidemos os nossos deveres na Igreja, nem as suas reuniões, como algumas pessoas fazem, mas animemo-nos e nos admoestemos uns aos outros, especialmente agora que o dia da sua volta está se aproximando [...]”.

     (Hebreus 10:19,22 e 25. O verso 19 é da versão contemporânea, e 22 e 25, da NVI. As porções entre parênteses são para clarear mais o nosso entendimento).

      3 “[...] Pois, por Ele (Jesus Cristo), ambos temos acesso ao Pai, em (por) um mesmo Espírito (o Espírito Santo). Assim já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos, e da Família de Deus [...] Nele (em Jesus Cristo) todo edifício bem ajustado (toda pessoa bem ajustada em Cristo), cresce para Templo(santuário) Santo no Senhor. E Nele (em Jesus Cristo) também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito (vocês são unidos a Ele, e uns aos outros pelo Espírito Santo) Efésios 2:18,19,21,22.

 A ADORAÇÃO EM ESPÍRITO SÓ OCORRE NO ESPÍRITO RESSUSCITADO

     Deus é Espírito, revela o Senhor Jesus (João 4:24). Portanto o nosso conhecimento de Deus (Pai, Filho e Espírito Santo), conquanto passe pelo intelecto, pela informação (revelação) é um conhecimento que ocorre a nível do nosso espírito, por revelação do Espírito Santo, a partir da revelação escrita de Deus, e não do nosso intelecto (I Coríntios 2:1-17; Lucas 10:21; Mateus 11:25-27 e 16:17).

     O conhecimento e o amor a Deus só são verdadeiros quando o é do nosso espírito, porque Deus é Espírito e só pode ser conhecido e amado a partir do nosso espírito; é aqui que somos imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26,27). Foi esta image este conhecimento e relacionamento que o pecado matou, e, “[...] todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus [...]” (Romanos 3:23); por isso, desde Adão, ninguém nasce conhecendo (amando a Deus); portanto, ninguém nasce adorador, mas nasce inimigo de Deus (por causa do pecado, o espírito da pessoa nasce em trevas Efésios 4:17,19 e 2:1-3), e esta inimizade somente pode ser desfeita pela cruz, e pelo sangue de Jesus (Efésios 2:12-16; Hebreus 10:19,20; I Pedro 1:18,19; Apocalipse 1:5, etc.)

     “[...] O salário do pecado é a morte [...]”, diz a Palavra de Deus (Romanos 6:23). E diz também que a nossa constituição é uma tríplice unidade composta de espírito, alma e corpo: “[...] E todo o vosso espírito, alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo [...]” (I Tessalonicenses 5:23; Hebreus 4:12,13). Onde o pecado prevalece o espírito da pessoa está morto em relação a Deus, e ela está em trevas. Neste estado a pessoa vive debaixo do controle de satanás, fazendo a vontade dele, as vontades da sua própria carne e pensamentos, conforme Efésios 2:2,3.     

     E todas as pessoas que passarem pela vida neste estado, e não ressuscitarem recebendo a Jesus Cristo como Seu Senhor e Dono, cujo sangue foi oferecido pelo Pai para matar o pecado, e então, serem vivificadas, ressuscitadas pela obra e poder do Espírito Santo, ao terminarem a vida na terra, mesmo que sejam evangélicas, serão lançadas no inferno, nas trevas eternas e no tormento eterno preparado para o diabo e seus anjos (abra a Palavra de Deus em Mateus 25:41), e como o diabo odeia, em extremo, a cada e a todas as pessoas, ele, “[...] A antiga serpente que se chama diabo e satanás, engana a todo o mundo [...]” (Apocalipse 12:9), especialmente através da religião (com uma infinidade de cultos e pensamentos de idolatria e feitiçaria), do entretenimento/lazer, das riquezas deste mundo, e da soberba/orgulho/ego através do qual as pessoas vivem para satisfazer os seus desejos, vontades, vaidades e pensamentos em rebeldia e desobediência ao Deus Vivo, o Todo-Poderoso; ao que era, que é e que virá [...]. Neste estado a pessoa adora a si mesma, vive em função de si mesma e, sabendo ou não, serve, cultua, adora ao diabo e satanás (reveja Mateus 4:1-11), e quando a sua vida terminar na terra, esta pessoa será lançada no lugar preparado para o diabo e os seus anjos, revela o Senhor Jesus (em Mateus 25:41. Abra Apocalipse 20:10-15 e 21:6-8; também I Coríntios 6:9,10 e Gálatas 5:19,21).

     Portanto, somente chega a ser (é) um adorador que adora o Pai em espírito e em verdade, aquela pessoa cujo espírito é vivificado, é ressuscitado juntamente com Cristo, e que é assentada com Ele nas regiões celestiais (abra Efésios 2:1-6); posto que a verdadeira adoração ocorre é no universo do nosso espírito e o papel da alma (intelecto, vontade e emoções) é simplesmente expressá-la.

     Por mais cristianizadas que sejam, mais religiosas, piedosas, amáveis, “ungidas”, dedicadas que sejam, pessoas, cujo espírito não foi ressuscitado, não chegam a conhecer Deus e a amá-Lo (isto é loucura para eles), e jamais o adoram em espírito, mas apenas a nível de alma, como as cinco virgens loucas de que Jesus fala em Mateus 25:1-11.

     E mais, pessoas (mesmo os melhores crentes que sejam aos nossos olhos), cujo espírito ainda não tenha sido ressuscitado, vivificado em Cristo:

     Não chegam a ser guiadas, de fato, pelo Espírito de Deus isso lhes é confuso (Romanos 8:14; Gálatas 5:16-25).

     Tais pessoas nunca chegam a ser cheias do Espírito Santo, que automaticamente produz louvor/adoração a Deus em espírito e em verdade, como estilo de vida (Efésios 5:18-21), e não apenas cânticos e presença em reuniões, “cultos”.

     Mesmo que a pessoa tenha tido uma experiência que chame de batismo no Espírito Santo, com sinais de línguas, profecias, louvor, etc), mas se o espírito não tiver sido ressuscitado ela continua em trevas e prisão, posto que se pode ter todas essas “manifestações” apenas a nível de alma (sendo uma imitação, obra da carne), por isso, mesmo tendo tais manifestações, o fruto do Espírito e o caráter de Jesus não flui da pessoa. Os que buscam um batismo no Espírito Santo para terem experiências, na tentativa de suprirem vazios e frustrações da alma, invariavelmente caem neste engano, PORQUE ESTE BATISMO NÃO É PARA OS CRENTES TEREM “EXPERIÊNCIAS”, MAS PARA TORNÁ-LOS CADA VEZ MAIS SEMELHANTES A JESUS E CAPACITÁ-LOS COMO TESTEMUNHAS DE JESUS, PARA A MISSÃO DE JESUS: buscar e salvar pecadores perdidos (I Timóteo 1:15; Lucas 19:10; Atos 1:4,5,8; 4:8 e 29-31, etc.). Todas as “unções” e/ou “batismos” que não levam a isso, são enganosas, secam e deixam frustrações e enganos ainda maiores. Não caia nessa!

     Pessoas cujo espírito ainda não foi ressuscitado, não conseguem ser Corpo de Cristo e amar verdadeiramente os seus irmãos. Por mais que esforce, o Novo Mandamento nunca chega a ser parte delas, porque esse é um amor que vem de Deus para o espírito de Seus filhos (Rm. 5:5). Ele nos diz que quem não ama os seus irmãos permanece na morte, não é nascido de Deus e não conhece a Deus (I João 3:14 e 4:7,8).

     Também não consegue viver em santidade e pureza porque o espírito estando em trevas, em morte, as vontades predominantes da alma são as da carne e dos pensamentos (Ef. 2:2,3). Quando o espírito é vivificado, a alma é liberta do pecado.

Uma advertência:

     O espírito de uma pessoa pode ser ressuscitado, vivificado e retornar ao estado de trevas, de morte em relação a Deus, de inimizade com Deus, porque mesmo experimentando esta obra espetacular do poder e da graça de Deus, mesmo assim, a pessoa ainda continua tendo a liberdade de pecar; e se faz essa opção de desobedecer a Deus e permanecer em rebeldia (nas obras da carne), o seu espírito voltará ao estado de morte, porque o salário do pecado é a morte, e onde o pecado prevalece, as trevas da morte retornam ao espírito e a alma da pessoa. É isto que a Palavra de Deus diz aos crentes em Efésios 5:14. “[...] Pelo que diz: desperta, ó tu que dormes (que está em estado de morte) e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará (o ajudará a sair das trevas).”

     Esta palavra é dirigida a crentes cujo espírito retornou ao estado de trevas, de morte; por causa da desobediência, das iniqüidades, da rebeldia; dos pecados e atitudes mencionadas nos versos anteriores. O que está nos versos 15 a 21 são instruções para os que se arrependerem não retornarem novamente a este estado infernal. Neste estado (de Efésios 5:14) ninguém é adorador em espírito e em verdade é um estado repugnante, infernal. Veja o ensino e experiência do rei e profeta Davi nos Salmo 31 e 32. A quem Jesus virá buscar?

A IGREJA CASA DE LOUVOR

     “[...] Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o Seu Nome [...]” Hebreus 13:15 NVI.

     As figuras simbólicas do Antigo Testamento nos mostram que Deus sempre quis fazer de Seu povo uma verdadeira “Casa de Louvor”. Ele chama aos Seus filhos “Sacerdócio Real”, uma Nação Santa destinada para adorá-Lo (veja I Pedro 2:1-10, observando os versos 3,4,9,10).

     Israel no passado viveu esta verdade espiritual, porém, no cumprimento completo dos tempos. É a Igreja de Cristo que é estabelecida por Deus para louvá-lo. Toda congregação local deve ser a expressão deste chamado. Existimos para louvar e exaltar, a Deus, o Deus Vivo, Deus Pai, Deus Filho (Jesus Cristo), Deus Espírito Santo. Aleluia!!! Veja Efésios 1:3-14, observando os versos 5,6,12.

     No Antigo Testamento encontramos várias estruturas ou santuários que nos mostram por símbolos que o propósito essencial para o qual Deus nos salvou é adorá-lo. O rei-profeta Davi nos ensina, ao instituir em Israel um novo sistema de louvor, que Deus nos liberta e nos redime para que nós façamos festa para Ele e o celebremos (veja Colossenses 1:12-14; Efésios 1:12; Salmo 133 etc.).

     O profeta Davi é o modelo perfeito para nos ensinar de que maneira podemos ofertar louvor a Deus (veja I Crônicas 15:26-29; 16:1-43; I Reis 6:11-23, observe que Mical foi punida por desprezar ao Senhor com a sua atitude de religiosidade; I Crônicas 23 e 25:1-8. Em Atos 15:13-18 encontramos a revelação de que o cumprimento da profecia de Amós 9:11,12, de que Deus reedificará o Tabernáculo de Davi, se dá é na Igreja, no Corpo de Cristo, nos que estão em Cristo, neste tempo, entre a inauguração da Igreja em Atos 2 até à bendita volta do Senhor Jesus. Amém!).

     Sendo profeta de Deus, o Rei Davi é instruído a este respeito (a saber: da adoração e louvor oferecidos a Ele) pelo próprio Deus, e estabelece diversas formas e expressões para louvar ao Senhor. As dez formas que registramos a seguir não são únicas, mas indicam que podemos louvar, celebrar, adorar ao Todo-Poderoso com liberdade (e amor) através de todo o nosso ser: espírito, alma e corpo. Vejamos:

1. Com instrumentos: sopro, corda, percussão... (Salmo 150);

2. Com vozes de júbilo e grito (Salmo 66:1; 95:1,2; veja também 98:3-6);

3. Com danças (Salmo 149:3; veja também I Samuel 6:14; Êxodo 15:20; I Crônicas 15:29);

4. Com as mãos levantadas ou unidas em aplauso (Salmo 134:2; veja também I Timóteo 2:8);

5. Repousando (sentados ou deitados Salmo 149:5);

6. Batendo mãos, aplaudindo (Salmo 47:1);

7. Prostrados (Salmo 95:6);

8. Com cânticos espirituais, salmos ou coros (I Coríntios 14:15,26; Efésios 5:19; Colossenses 3:16);

9. Em grupos de dança (pessoas em círculo, roda e expressões afins);

10. Com todo o ser (outras formas Salmo 111:1; 150:6; Romanos 12:1).

O louvor da Igreja é revestido de toda importância, porque, entre outras coisas:

1. Produz, gera libertação;

2. Desata, libera os dons do Espírito Santo;

3. Produz gozo e paz;

4. Atrai o não salvo (aproxima da salvação);

5. É curador e restaurador (ministra a alma);

6. Desata fé e vitória (além de desatar unção guerreira);

7. Emociona positivamente à Igreja;

8. Nos move, nos impulsiona para Deus e para Cristo;

9. Nos faz agradecidos e conscientes de Deus e do Seu amor por nós;

10. Afugenta os demônios e atrai a manifestação da presença de Deus Salmos 143:1,2; Isaías 16:14; Atos 16:23-26).

     A Igreja - Casa de louvor é mais uma faceta do sublime ministério do povo de Deus. Toda Congregação (sem exceção) é parte da “Casa Espiritual” que Deus está edificando. Como tal, deve estar organizada para funcionar como uma “caixa” de música para Ele. A Igreja (não o edifício onde ela se reúne) é o Templo de Deus ou casa de Adoração (I Pedro 2:5).

     A Igreja local deve ser a expressão viva do gozo, da alegria de Deus em nós. Ela deve refletir a Salvação do Senhor (Jehová) e a Sua vitória. A festa e a celebração é o propósito e o desejo de Deus para o seu povo. Amém! (Êxodo 5:1; Neemias 12:27; I Crônicas 29; Salmo 35:4; Colossenses 1:12,13; etc).

     A Igreja “Casa de Louvor”, é um ajuntamento (organismo) adorador, que reconhece e se submete ao Deus Vivo (a Jesus Cristo) como O Senhor, que Ele de fato é; entende o propósito da sua existência (da Igreja), e vive para ministrar e servir ao seu Criador e Senhor (o seu dono, proprietário). O “Alto Louvor” é mais do que ação de graças, é adoração pura. O louvor nos introduz ao trono de Deus para ter adoração e intimidade com Ele. Amém! (João 4:21-24; Efésios 1:12).

     A Igreja como entidade de louvor e adoração recebe abundante benefício da ministração, oferta a Deus. No silêncio da “Comunhão”, após adorar, Ele nos dá, pelo Seu Espírito:

1- Ânimo, fortalecimento, alegria, paz, amor[...]

2- Palavra de vida e voz profética;

3- Dons do Espírito Santo (curas, milagres, socorros, etc.);

4- Visões, êxtases e profecias pelo Espírito Santo;

5- Visitação angelical e voz audível do Senhor;

6- Salmo 133.

Uma Igreja “Casa de Louvor” se caracteriza por ser:

1- Adoradora existe para adorar/exaltar o Deus Vivo;

2- Jubilosa e celebradora;

3- Ter comunhão contínua com Deus (o que anela sempre);

4- Liberta, livre, sã, saudável, curada;

5- Vitoriosa e ativa;

6- Cheia de gratidão, gozo e vitória. Está cheia do Espírito;

7- Ser ungida e poderosa (Atos 2:42-44; 4:31; Filipenses 4:4).

     A ausência de louvor verdadeiro na Igreja só gera atrai religiosidade, apostasia e morte. A falta de louvor (em espírito e em verdade) impede a benção e endurece os corações. Este problema estimula as obras da carne e atrai o humanismo e a dúvida.

     A intenção de Deus é que, nesta era da Igreja, todos funcionem como ministros de louvor (crianças, adultos, idosos[...]).

     Por certo, somente alguns funcionarão como diretores de louvor (serão líderes nesta obra), porém todos na Igreja devem estar envolvidos no ministério da adoração ao Senhor; esta é a razão de ser e de existir da Igreja. A Congregação local que envolve o maior número de membros nesta causa será exitosa, pujante e avançará muito para o alcance dos propósitos e projetos de Deus.

     Devemos ser, correr para ser, na verdade, uma verdadeira “Casa de Música” para Deus (o Todo-Poderoso Jehová-Shammah). Ele deve ser continuamente celebrado por todos os Seu filhos. Amém.

PROFECIA ATRAVÉS DA CANÇÃO PROFÉTICA

     Uma das formas mais doces em que muitas vezes Deus traz a profecia é através do cântico. A canção profética nos vem com um equilíbrio ou balanceamento emocional e espiritual em quem canta, que nos abençoa profundamente.

Eis alguns resultados da ministração profética através do cântico:

1- A canção profética traz liberdade para os cativos;

2- A canção profética traz instrução espiritual;

3- A canção profética edifica, pois muitas vezes é a Palavra de Deus expressa musicalmente;

4- A canção profética traz glória a Deus (Juízes 5:12);

5- A canção profética é desatada através do cântico profético e quebra o jugo ou poder do inimigo;

6- A canção profética traz cura e paz (I Samuel 16:23);

7- A unção através da canção profética quebra os jugos e tira a carga, o fardo (Isaías 10:27);

8- A canção profética traz vitórias espirituais (II Crônicas 20:21,22; Salmo 68; Oséias 2:15);

9- A canção profética nos leva ao companheirismo, à comunhão espiritual;

10- A canção profética traz aos outros o testemunho da grandeza do nosso Deus (Salmo 92:1,2);

11- A canção profética traz reverência (Salmo 40:3);

12- A canção profética traz justiça viva (leva ao choro, ao arrependimento e à confissão de pecados);

13- A canção profética produz adoração;

14- A canção profética levanta os deprimidos e os oprimidos;

15- A canção profética desata “a unção ou manto profético” veja II Reis 3:15.

 

Versículo do Dia

Sl 119:46

"Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

210 - PROTEJA-SE ESPIRITUALMENTE

“Ele… oprimirá o… povo do Altíssimo…” Daniel 7:25      Satanás utiliza duas estratégias. Primeiro, “ele desafia o Altíssimo”. Satanás sempre atacará o plano de Deus, os princípios de Deus e...

199 - UMA GERAÇÃO NARRA SUAS MARAVILHAS PARA A PRÓXIMA

(Salmo 22:30)      O Livro dos Salmos sublinha assim a importância da transmissão de valores e das tradições que fazem parte da nossa rica história de família.      Junto aos...

179 - O VENTO E O TEMPO

     Sempre é tempo de recomeçar. Se você não tem encontrado alegria e contentamento em seu casamento, semeie entrega.      Entrega é o termo que melhor resume o exercício...

114 - AMIZADE ??? VOCÊ SABE O VALOR DE UMA

     Um dia, durante uma conversa entre advogados, me fizeram uma pergunta: "O que, de mais importante, você já fez na sua vida"? A resposta me veio na hora...

175 - UMA LIÇÃO DE EQUILÍBRIO

     Eu acompanhava um amigo à banca de jornal. Meu amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas, como retorno, recebeu um tratamento rude e grosseiro.      Pegando o jornal que...