Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

PROVÉRBIOS 13

Leitura em FAMÍLIA

Livro da bíblia – Provérbios

Provérbios 13:1-25 — Significado e Explicação

13:1 — O filho sábio ouve a instrução (Pv 10:1,17) e é melhor do que o escarnecedor — o pior tipo de insensato (Sl 1:1). Alguns tolos são ingênuos e inexperientes, mas abertos a sugestões; às vezes até os que já são insensatos há tempos repensam sua posição. O escarnecedor, porém, ri da justiça e não gosta de censuras.

13:2,3 — É destacado aqui o uso apropriado da fala, tornando-se assim um recurso valioso. Entretanto, quando a fala não é usada de forma adequada, pode gerar contendas e dissensões. Às vezes, dizer a palavra errada pode até por uma vida em risco.

13:4 — O preguiçoso é consumido por desejos insaciáveis porque nunca são realizados. A pessoa laboriosa pode conseguir seus objetivos e encontrar a satisfação.

13:5 — A pessoa que aborrece a palavra de mentira não se sente simplesmente mal com isso, mas a evita a todo custo.

13:6 — Nos provérbios, a justiça é retratada como amiga e a impiedade como inimiga (Pv 11:27). A impiedade nos fere, mas a justiça nos ampara.

13:7 — Há quem se faça rico, não tendo coisa nenhuma. Este paradoxo de a ganância levar à pobreza e a generosidade conduzir à riqueza é um tema recorrente nas Escrituras (Pv 11:24; Mt 6:19-21). A questão não é quanto dinheiro se tem, mas como é usado.

13:8 — Uma pessoa muito rica pode ter de gastar essa riqueza para pagar um resgate. Porém, o pobre tem pouca probabilidade de passar um apuro pelo qual tenha de pagar um resgate. Boa parte dos pobres poderia querer correr este risco, mas há algum valor de proteção pessoal na pobreza.

13:9 — Para o antigo israelita, a candeia era a única fonte de luz à noite. Sem ela, a pessoa não tinha como enxergar o caminho a sua frente (Pv 20:20; 24:20).

13:10 — A palavra soberba (Pv 11:2) não se refere a autoestima ou a uma postura mental positiva, mas a arrogância e a recusa de adorar a Deus. Este tipo de orgulho é egoísta e leva a conflitos.

13:11 — Este provérbio descreve as consequências naturais a longo prazo de trapacear. As pessoas que comprometem sua honestidade para ficarem ricas simplesmente adiam a necessidade inevitável de trabalhar para ganhar o seu pão. Chega o dia em que sua trapaça é exposta, momento em que, provavelmente, os colegas honestos já obtiveram algo digno e duradouro por meio da labuta.

13:12 — A árvore de vida (Pv 11:30) simboliza o alcance de um desejo profundamente sentido. É como retornar ao jardim do Éden.

13:13 — Uma pessoa pode desprezar a instrução ou reagir com reverência a ela, compreendendo que o Orientador maior é Deus. A correção só existe para o bem de cada um.

13:14 — Seguir a sabedoria é algo que nos conduz direto para a fonte de vida (Pv 10:11). Se pesquisarmos sobre a antiga Judá, descobriremos que em sua terra árida havia uma fonte para saciar a sede das pessoas e dos rebanhos. Era uma necessidade — uma fonte de vida —, assim como a sabedoria é indispensável ao ser humano. A fonte também servia como ilustração da salvação (Is 12:1-3).

13:15 — A graça de Deus e de outras pessoas — a boa reputação — é altamente desejável, porque ela assegura que você não estará só em sua vida. A graça provem do bom entendimento. Uma boa reputação era a primeira qualificação listada pelos apóstolos para os diáconos da igreja do primeiro século (At 6:3).

13:16 — Mais um provérbio em que coloca o prudente e o tolo frente a frente. Neste versículo, destaca-se que o primeiro costuma agir com entendimento, o que é adquirido no estudo da Palavra, e que o segundo vive segundo a sua insensatez.

13:17 — Naquela época, era comum contratarem mensageiros particulares quando os serviços postais do governo não estavam funcionando. Esses homens tinham de ser diligentes e fiéis em seu ofício. Só que, durante a viagem, o mensageiro era surpreendido por imprevistos ou envolvia-se com coisas prejudiciais. Assim, ele se desviava de seu propósito principal e não cumpria sua missão com êxito, prejudicando quem o contratou. Por isso, este versículo faz uma retaliação ao mau mensageiro. É preciso ser um mensageiro fiel, bem-sucedido.

13:18 — Este é mais um provérbio sobre o desprezo a instrução (Pv 13:1). Fala da pobreza como consequência lógica daquele comportamento inconsequente.

13:19 — Poucas coisas agradam tanto quanto a realização de um desejo. Entretanto, a insensatez dos tolos é tão profundamente enraizada que, se ele abandonar seu caminho autodestrutivo, sente-se enfermo. O termo usado para esta sensação ruim, “abominação”, é o mesmo usado para falar do sentimento do Senhor diante das atitudes tolas em outras passagens (Pv 11:1).

13:20 — A escolha de amigos (Pv 12:26) é extremamente importante, pois a influência destes sobre nossa vida é muito mais forte do que a maior parte das pessoas percebe.

13:21 — O mal é inimigo do pecador (v. 6), e não amigo; ele é seu perseguidor, e não companheiro.

13:22 — No livro dos Provérbios, riqueza é um tópico com muitos desdobramentos. Dentre as diversas abordagens, vemos que a riqueza pode ser um benefício da vida reta (Pv 13:11; 10:22), mas isso não é garantido (Pv 28:6); notamos que ela não pode tornar a pessoa boa (Pv 11:4), e, no fim, importa menos do que alcançar graça aos olhos de Deus (Pv 11:28). O homem de bem sabe disso e confia no Senhor para suprir suas necessidades. Em contrapartida, o pecador tenta amealhar e conservar a riqueza, mas no fim fracassa.

13:23 — Este provérbio aborda a injustiça; observa que alguns pobres até têm bens, mas estes lhes foram tomados por falta de juízo [falta de justiça, na NVI].

13:24 — Este é o primeiro de vários provérbios sobre disciplina familiar. Quando os pais disciplinam os filhos com amor, estão copiando o exemplo da correção com amor exercida por Deus (Pv 3:11,12).

13:25 — A satisfação genuína está ligada à retidão; o fracasso abjeto está ligado a perversidade.

Restruturado e reformulado, para uso interno da

Igreja Evangélica Comunidade Encontros Com Jesus.

No amor em Cristo,

Pr. Dalton Ramos

 

Versículo do Dia

Lc 4:16

"E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

177 - GRANDE FÉ, GRANDE GANHO

     John McNeil, pastor nas ilhas britânicas, relata que certa vez pastoreou uma igreja que tinha pesadas dívidas. Isso o preocupava, e ele orou muito a respeito. Certo dia...

37 - OBRIGADO POR SER MEU AMIGO

     Preste atenção ao que vai ler!!! Depois de ler, você vai saber a razão pela qual isto foi enviado a você.      Pessoas entram na sua vida, por...

81 - CONHEÇA A VERDADEIRA HISTÓRIA DO NASCIMENTO DE JESUS

      Quais são os equívocos mais comuns sobre o nascimento de Jesus Cristo?       A típica história que nós repetidamente ouvimos é:       "Na noite de 25 de Dezembro...

209 - O PREÇO DA AMIZADE COM DEUS

       Depois de perder tudo que lhe era mais querido, Jó olhou para trás e ansiou pelos dias em que a amizade de Deus “... agraciava o seu lar…...

118 - ASPECTOS DO SOFRIMENTO

     Era um dia quente de verão naquela cidade do interior do sul do Brasil. Mas apesar do calor a vida deveria seguir seu curso, normalmente. O jovem trabalhador...