Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

23 - UM CLAMOR PROFÉTICO

Encaminhamento para as equipes de comunhão e as novas células de oração

     Somente os que decidem permanecer em Jesus - é que, portanto são os ramos (ramos que permanecem nEle), João 15 e que dão fruto, e muito fruto, e fruto que permanecerão, os que são Casa de Deus, Casa de Oração. E nestes, Jesus se manifesta; e estes manifestam Jesus, manifestam o Rei e o Reino de Deus, do Deus Vivo Triúno.

     “Manifesta-te em mim, Jesus!” é um clamor. Um clamor da Casa de Oração; um clamor de quem é Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração.

O PAI PROCURA/BUSCA CASA DE ORAÇÃO/ADORAÇÃO

     Certamente nos lembramos do que Ele nos diz, no breve manual, no capítulo 7, a partir do verso 21.

     Jesus nos diz no verso 21: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que (ou, somente aquele que) faz a vontade do meu Pai que está nos céus.”É insubstituível a importância de lermos e recebermos em nosso espírito, o Breve Manual, dado por Jesus, aos seus discípulos que, a partir de Atos capítulo 2, seriam discípulos PLENOS. E então, para nós, que estamos após Atos 2, diante do Breve Manual, Mateus capítulos 5,6 e 7, neste tempo que antecede a sua volta.

     Precisamos ler, agora, sabendo que é parte do nosso preparo pessoal para a busca/oferta, ou oferta/busca, para que achemos graça diante de Deus, do Deus Vivo Triúno, de Yahweh, afim de que sejamos os que Ele busca. O Pai procura aqueles adoradores acerca dos quais Jesus dá a Revelação à humanidade inteira, em João 4:23 (19-24).

     Somente como Casa de Deus Casa de Oração/Adoração, alguém será a resposta à busca que o Deus Vivo Triúno faz. É inacreditável que seja tal como está escrito, tal como Jesus disse em João 4.23, a saber: “O Pai procura adoradores que o adorem em espírito e em verdade”. Jesus está ensinando que a adoração em espírito e em verdade, não é vinculada a estruturas e formas religiosas, mas a uma identidade. Ele disse: “Não é neste monte nem em Jerusalém o lugar de se adorar...”.

     Jesus, então, está revelando, portanto, que esta é a razão por que o Pai, a triunidade o enviou: “O Pai busca adoradores...”. Todavia, somente mediante o Sangue de Jesus, tal como é a revelação que está em Hebreus capítulo 10 (19-22), alguém pode chegar ao Santo dos santos. Somente através do Sangue de Jesus, que é o novo e vivo caminho, alguém poderá ser reino de sacerdotes; ou, poderão ser reis e sacerdotes para reinarem com Cristo na Terra, como reis e sacerdotes (Ap 5:8-10; 1:5,6; I Pe 2:9; Mt 16:19 e 18:18-20), como nação santa, geração eleita. Como Casa espiritual para oferecer SACRIFÍCIOS ESPIRITUAIS AGRADÁVEIS AO DEUS VIVO TRIÚNO (I Pe 2:4,5) permanentemente e diariamente, em todo o tempo, às 24 horas do dia, tal como foi o estabelecimento do Tabernáculo de Davi, na correspondência com a expressão Tabernáculo de Davi, que está em Atos capítulo 15. E, para ser, assim, o cumprimento neste tempo, do tempo que começou em Atos 2, e cumprimento entre os gentios. É fantástica aquela revelação.

     Este cumprimento do projeto de Deus, para restabelecer e restaurar o Tabernáculo de Davi, iria ocorrer entre os gentios, os que não são a nação de Israel. Mesmo que sejam descendentes genéticos de Abraão, mas não são os descendentes de Isaque.

     Casa de Deus, casa de Oração/Adoração! Ah! Então vai incluir todos os que são, os que estão rendidos a Jesus, ou seja, os que o Pai encontra, os que o Pai busca...

     Então Jesus respondeu: “Deus é espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Então, não é uma estrutura religiosa. E ele diz: “Não é neste lugar, lá no monte Geresim em Samaria, nem em Jerusalém, onde estava o centro para o culto judaico ser realizado. Ele diz: não é aqui e nem lá. Vem a hora! Jesus diz: “E já chegou!” Há quase dois mil anos.

O TABERNÁCULO DE DAVI RESTAURADO

     Então, em Atos 2 se conheceu um pouco desta hora, com um cumprimento parcial entre os judeus, porque a Igreja nasceu em Jerusalém. O livro de Atos, até o capítulo 12, é basicamente revelação que se dá entre os judeus. É claro que entram os Samaritanos em 9, e entram os Gentios a partir da família de Cornélio em 10 e 11, mas, a partir de Atos 13, quando de Antioquia, uma Igreja não judaica, é enviada para chegar às nações, aos povos não judeus. Lembremo-nos de que o Projeto de Deus para Abraão, é que nele seriam abençoadas todas as famílias da terra (Gn 12:3).

     Então Jesus diz: “Esse Evangelho do Reino será pregado em todas as nações, em todos os povos, para testemunho; e então, virá o fim.” (Mateus 24:14). Este é o Evangelho do Reino. Não há como todas as famílias da Terra serem abençoadas, sem Abraão, sem o Evangelho do Reino, como testemunho. E, uma vez que alguém entra no Reino de Deus, a identidade desta pessoa, que é a essência da relação dela com Deus, será cada vez mais intensa, mais real, mais pura, mais limpa. Será a relação como Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração. E uma vez que isso seja verdade, amados, então, há manifestação visível do Reino de Deus, através da expressão corporativa revelada em I Pedro 2:8-10, passará a ser parte do indivíduo, porque ele será expressão de uma comunidade, de uma geração, de uma espécie; e esta espécie, é uma espécie de reis e sacerdotes, que têm acesso ao Santo dos santos, pelo sangue de Jesus.

     Se Jesus não tivesse vindo, e sem a vinda de Jesus, e sem o que ocorreu com Jesus, o Pai, o Deus Vivo Triúno jamais poderia ter os adoradores que Ele procura; e estes são a Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração. Não são as atividades religiosas praticadas em nome... usando o nome de Jesus. Não importa o quanto as pessoas sejam sinceras nestas atividades religiosas; e o quanto elas usem a Bíblia para justificar tais atividades. Somente se é o povo de Deus na Terra, se a manifestação corporativa deste povo for através e a partir de indivíduos que são casa de Deus, casa de Oração/Adoração. Se como indivíduos, não formos tais, tudo o que nós fizermos reunidos, como atividades, chamando de adoração, de louvor, de oração ao Senhor, de oferta a Ele, será atividade religiosa.

     Então, nós nos reunimos, temos uma estrutura... os judeus eram assim. Não compreenderam a diferença entre religião e relação com o Deus Vivo, de coração, como foi com Abraão. E, então, nós invertemos a ordem. Estabelecemos uma estrutura com atividades; atividades correspondentes ao que está escrito no texto bíblico inclusive, e chamamos isto de “A Igreja do Senhor”... Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração? Talvez; mas não é isto. Não é esta a ordem.

     Primeiro é a identidade individual como Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, pois estes são os adoradores que o Pai Procura; e estes adoram o Pai em espírito e em verdade. A Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, o é por fazer isso (são os adoradores que o Pai Procura); e ela independe das reuniões; as razões das reuniões são outras. Primeiramente é para que se manifeste este povo de forma visível; e este povo, esta geração, é manifestada de forma visível reunida. Este povo é reunido de que forma? Com/através de estruturas; estruturas locais, sejam de 2 ou 3, conforme Jesus diz em Mateus 18, sejam com grupos maiores, nos quais Jesus está, e dos quais Ele é o Senhor, e não o orgulho dos indivíduos, da manifestação religiosa, e manipulação, com formato de feitiçaria; de controle com aparência de piedade. Não é isso amados? Orações de feitiçaria; isso não é Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração. E então, uma vez que se é Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, um por um dos que, de fato o sejam, serão identificados, e se encontrarão com outros, caso haja mais de dois ou três, ou cinco pelo menos.

O QUE FAZ A CASA DE DEUS/CASA DE ORAÇÃO?

     Desta forma estará à manifestação visível de um povo, de uma espécie, uma geração. E, ao se encontrarem, para que o fazem? O fazem para ministrar ao Senhor; casa de Deus, casa de Oração/Adoração. Não pode existir outro fim.

     Não se encontram para evangelização (nem para outras coisas que até seriam justas); não se encontram para outras atividades. Se encontram para servir e ministrar ao Senhor, ao Deus Vivo Triúno de forma corporativa. Se encontram para serem vistos; para que haja manifestação visível. Onde isso é possível? Onde a perseguição não impede; mas, é para ministrar ao Senhor (sejam vistos ou não), e para que a vida corporativa como Família de Yahweh, que requer uma identificação de quem é quem. Agora, você imagina uma pessoa que, de fato seja Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, qual é a visão de vida desta pessoa? Em função de quem ela vive? Qual lugar as obras da carne têm em tais pessoas? Creio que muito pouco.

     Ora, então você toma o Breve Manual, aquele pedacinho do capítulo 7 do Breve Manual (mais o capítulo 6 inteirinho é acerca de oração). Então o pedacinho do capítulo 7 quando então Ele (Jesus) novamente volta a falar sobre oração.

     “...PORTANTO, tudo o que vocês querem que as pessoas façam a vocês, façam isto mesmo a elas.” Você imagina amado, como isto é manifestação do Reino de Deus e do Evangelho do Reino? Você vive assim, se não o que falta? Que poder há na proclamação do Evangelho do Reino? A Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, o indivíduo que o é, nele irá se manifestar a identidade de Jesus, em termos de realização pessoal, como está no primeiro parágrafo do Breve Manual: “Bem aventurado, bem aventurado, bem aventurado...”

     E, ser sal da terra e ser luz do mundo não será um programa, mas será um fluir da identidade de Jesus no indivíduo. E a preocupação com o Evangelho do Reino é a busca para manifestar o evangelho do reino de Deus às pessoas.

CASA DE DEUS CASA DE ORAÇÃO E A PARÁBOLA DO SEMEADOR

     Ah! Ninguém pode ser casa de Deus, casa de Oração/Adoração, se apagar ou extinguir o Espírito Santo. Jesus, então, traz a revelação, através do Evangelho de João, capítulos 14, 15 e 16, quanto ao Espírito Santo, e Ele diz: “Eu voltarei para vocês”. Ele, o Espírito Santo estará em você. Não apenas “entre”, mas, “dentro” de você. “Eu estarei dentro de você” (Confira Lucas 17:20,21).

     É nisso que consiste o batismo com o Espírito Santo; mas o batismo com o Espírito Santo separado da rendição a Jesus só vai gerar frustração; entretanto, o apagar o Espírito Santo, é lamentavelmente, a conduta evangélica mais comum em pessoas nas quais o Reino de Deus chegou de fato. E como se vai apagando o Espírito Santo? É semelhante ao que Jesus traz de revelação quanto ao Reino de Deus, Reino dos céus, em Mateus 13. E a primeira das sete parábolas é a do semeador, e precisamente nesta, é a palavra do Reino (do Reino de Deus), que chega à pessoa, e o que ela produz? Primeiro uma reação dos demônios. O diabo vem e arranca, arrebata a Palavra. Segundo, envia situações, e geralmente através de pessoas, situações mais variadas para trazer tribulação à pessoa por causa da Palavra. Ah! E então, se isso não funciona, os demônios usam suborno para que a pessoa desvie o foco dela de Jesus, para si mesma, enquanto na Terra, e siga como “evangélica”; e aí esses são os que Jesus diz que correspondem aos espinhos; a semente, o evangelho do reino que é semeado entre os espinhos; e estas pessoas, agora, irão viver, depois de receber o Evangelho do Reino, de entrar nele, eles irão viver em função da vida delas na Terra, do mundo; em função da prosperidade econômica, em função do bem estar; em função das riquezas, em função dos prazeres do mundo, ou seja, tudo o que é da Babilônia, e tudo o que é da descendência natural de Adão; e, ao mesmo tempo tudo com que o ex-Lúcifer tentou subornar a Jesus, conforme está em Lucas 4:5-7.

     E aí, nós espiritualizamos isso amados, com o texto bíblico; estes que estão entre espinhos; e estes tipos de crentes, que é um padrão evangélico apóstata na relação com o texto bíblico, vai ficando cada vez mais normal: é o padrão comum em todas as congregações; e neste tempo como um todo, isso envolve uma expressão evangélica que vai desde tradicionais, até os chamados “novos movimentos evangélicos”, com uma perspectiva em função do ego humano, do nosso ego em buscar coisas; e é o que corresponde aos que estão entre espinhos; e Jesus então diz que o que ocorre com eles é que... Porque o coração deles estará dividido; e Ele diz isso no Breve Manual: “onde estiver o seu tesouro, estará o seu coração”.

     Jesus diz: “não ajuntem tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem a destroem, e os ladrões roubam”; mas, em Mateus 13, ele diz que estes, entre espinhos, permanecem nesta condição, precisamente por isso; porque eles estão buscando tesouros na Terra; o que o mundo pode lhes dar? A prosperidade, o status, etc... Tudo o que é normal, sim amados, mas para quem não encontrou a Terra na qual está um grande tesouro; a pérola de grande preço (Mateus 13:45,46).

     E Jesus diz: Esses (que somos nós), em Mateus 6:19 “Não ajuntem tesouros na terra; onde estiver o teu tesouro, estará o seu coração”. Então, nós não podemos ser Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração, se Jesus não é o nosso Tesouro de fato; o Reino de Deus.

     E aí, os que estão entre espinhos, tentam administrar as duas coisas. Não funciona. Jesus diz que a palavra do Reino fica neles como? A Palavra do Reino fica infrutífera. E uma vez que ela fica infrutífera, o fica para eles mesmos, porque eles não podem viver a realidade do Reino de Deus. Eles não podem viver a vontade do Pai que está nos Céus tal como foi com Jesus; eles não podem se deleitar na vontade de Deus... Eles não podem se deleitar... Eles não podem discernir e viver a realidade dos mistérios do Reino de Deus; Eles não podem, porque o coração está dividido. A Palavra de Deus; a Palavra do Reino, fica sufocada neles. E aí, depois, Jesus diz acerca dos que são a boa terra (Veja Mt.13:23).

A SEDUÇÃO BABILÔNICA E A APOSTASIA

     Ora, começamos bem, e chegamos a ser cheios do Espírito Santo, com aqueles sinais evidentes do batismo com o Espírito Santo, mas, daí a pouco, a "beleza" e os "encantos" da carne, através da babilônia vão contaminando os nossos olhos, e eles passam a ver a realidade terrena tal como os ímpios, e deixam de ter os olhos de Jesus para terem olhos maus (Veja Mt. 6:22,23). Em vez de tomar toda a provisão magnífica de Deus para cada pessoa na Terra e para fazer dessa provisão, oferta ao Senhor, incenso oferecido a Ele, corações agradecidos e que O amam, tomam isso tudo, pensando que a vida deles tem algum valor na Terra (e trocam Deus pelas coisas da Terra).

     Os espinhos... Os que são espinhos... Nestes (crentes espinhos), não há como haver Casa de Deus, casa de Oração/Adoração; e isto é o padrão evangélico normal. Não nos iludamos, de que o Pai encontrará adoradores nestes. Eles podem ter sido cheios do Espírito Santo um dia, mas à medida que apagam o Espírito Santo, eles apagam Jesus; porque o Espírito Santo é Jesus neles.

O REINO DE DEUS EM NÓS

     Mateus 13, quanto à revelação quanto ao Reino de Deus e Reino dos céus – está mais completa neste capítulo só, mais ampla. São oito referências, é o que as pessoas têm quando o Reino de Deus entra nelas e elas no Reino. Também, faz parte do nosso preparo pessoal, o Breve Manual, Mateus capítulo 5, 6 e 7, e o que nós proclamamos no início: Reina em mim, Jesus! Faz em mim tua vontade. E é o que diz o Breve Manual: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do meu Pai que está nos céus”.

     Não adiantará ninguém se apresentar diante de Jesus e dizer: “Senhor, Senhor!! Senhor, Senhor!!!! Em teu nome...! Em teu nome, em teu nome profetizamos; o proclamamos muito, muito! Proclamamos a Tua Palavra, fizemos orações, cantamos, profetizamos Jesus. Em teu nome expulsamos demônios (sinais do Reino...). Em teu nome fizemos milagres e maravilhas. Todos são sinais; parte dos sinais secundários do Reino. Argumentarão somente para ouvir de Jesus o que? – Nunca vos conheci. Apartem-se de mim, todos os que praticam iniquidade.

     Então, não basta ter aparência exterior, e usar um jogo de palavras quanto a ser participante do Reino de Deus, dos sinais do Reino; Ele diz: “...Somente os que fazem a vontade de meu Pai que está nos céus. Somente estes entrarão no Reino”. Não se engane e não se deixe enganar por ninguém. Ouça, para você, o que Ele diz em Mateus 7:13-20.

     Em qual reino entrarão, se os sinais secundários, manifestados pelos que estão entre espinhos, podem ser semelhantes aos sinais do Reino, tal como profecia, que envolve o que? Tal como expulsar demônios, que envolve o que? Tal como manifestar curas no reino de Deus, que envolve o que? Tudo isto, são sinais do Reino. Mas não nos iludamos amados, pois ele disse, antes um pouquinho: “Somente entrará no reino dos céus os que fazem a vontade do meu Pai que está nos céus.” Se não houver isso, vamos ouvir Jesus dizer: “Aparte-se de mim.”

     E Ele diz: “A minha casa será chamada casa de Deus, casa de Oração/Adoração” (Mt. 21:12-16). É o que o Pai diz. É o que Jesus diz que Ele veio fazer. É o que o Pai procura. Não nos iludamos; não nos enganemos com atividades religiosas, pois a Casa de Deus, Casa de Oração/Adoração é uma identidade, e primeiro, então, como uma identidade individual é que a manifestação corporativa se dará, a Igreja visível na Terra.

CONHECER O PODER DA RESSURREIÇÃO DO SENHOR JESUS CRISTO

     “...Conhecer a Jesus e o poder da sua ressurreição”. Ah! Sem a ressurreição de Jesus não há a validação do caminho para o Santo dos santos. Sem a ressurreição de Jesus, não há remissão de pecados; mesmo que Ele tenha passado pela cruz. Sem a ressurreição de Jesus, não há a vinda do Espírito Santo como Batismo, e de Jesus como BATIZADOR. Não há. E o poder da ressurreição de Jesus, fluiu nos discípulos a partir de Atos 2, quando foram batizados com o Espírito Santo. Agora, aí está o poder da ressurreição de Jesus na identidade de cada discípulo/profeta dele; seu preparo pessoal hoje, na expectativa de que achemos graça diante do Senhor, e que a graça dEle consiga encontrar entre nós alguns que vem dizendo a verdade a Jesus quanto a ser casa de Deus, casa de Oração/Adoração.

     Então, quando você for ler a porção de Filipenses 3:7-14, atente ao que está no verso 10.

     Quando for ler Mateus 13, atente quanto ao que Ele diz da Parábola do Semeador quanto aos que estão entre espinhos, e ao ler o breve manual, tudo para o nosso preparo. Isto é o Reino de Deus amados. É o evangelho do reino fluindo em nós. É Jesus reinando, é a vontade do Pai fluindo; é a Casa de Deus, Casa de Oração. Aí está à identidade destes discípulos-profetas que são precisamente os adoradores que o Pai procura, e a identidade dEle brota. Reina em mim Jesus!

ESTRUTURA DAS CÉLULAS DE ORAÇÃO

     Cada célula se reunirá uma vez por semana para fortalecimento, confronto, compartilhamento, intercessão e ajuda mútua.

     Creio que este ministério na vida de toda a Igreja tem levado pessoas de simples espectadores de oração, para serem intercessores sérios uns pelos outros (isto é: pessoas que têm levado este ministério a sério). Como casa de Deus.

     Pessoas que encaram isto como sendo essencial em suas vidas, têm desenvolvido um relacionamento muito mais lucrativo; de uns com os outros e com Deus, pois ser parceiro de oração nos dá uma força tremenda, pois sabemos que não estamos só, pois alguém, em algum hora, ou durante o dia está orando por nós. Mas perguntamos: o que habilita uma pessoa a ser um parceiro de oração? Gosto muito que Cindy Jacobs diz: Ter um compromisso sério com a oração; Confiabilidade (Isto é Fundamental); Capacidade em saber ouvir a voz de Deus e em compartilhar o que Deus lhe diz sem aquele tom intimidador.

PERIGOS QUE PODEM OCORRER NAS CÉLULAS DE ORAÇÃO

1° Cuidado para não fazer da célula de oração um ministério de libertação, (lembre-se: célula de oração é para ser suporte uns dos outros);

2° Demasiado tempo investido em compartilhar e pouco tempo para se orar;

3° Tornar-se reunião de fofocas;

4° Usar oração para agredir os outros;

5° Torna-se um clube de admiradores mútuo;

6° Encarar como uma carga;

7° Usar simplesmente como refúgio de problemas;

8° Falar de negócios e não de oração.

SUGESTÕES PARA AS CÉLULAS DE ORAÇÃO

     Comece seus períodos de oração com a Palavra de Deus; Aplique à sua vida o que ler; Personalize passagens bíblicas durante o período de oração; Banhe a sua alma na Escritura para aumentar a sua fé; Memorize versículos da Escritura que sejam úteis à sua fé; Use a Escritura para louvor e adoração ao Senhor; Use as orações e expressões de oração Bíblicas; Reivindique as promessas Bíblicas ao orar; Use a sua autoridade e a Escritura para repreender satanás; Pedir ao Espírito Santo para aumentar o desejo de orar; Peça a Deus para guiar você nos seus propósitos; Ore até que Deus levante o fardo ou lhe assegure que ouviu; Dê um lugar especial em sua lista de oração ao reavivamento e colheita.

     A oração do justo é poderosa e eficaz.

No amor em Cristo,

Pr. Dalton Ramos

MARANATA JESUS!

Versículo do Dia

Gn 43:30

"E José apressou-se, porque as suas entranhas comoveram-se por causa do seu irmão, e procurou onde chorar; e entrou na câmara, e chorou ali. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

80 - JESUS

     Se alguém colocasse uma arma em frente ao seu rosto e perguntasse se você acredita em Deus, o que você faria?      Diria NÃO e se sentiria envergonhado...

171 - A FÁBULA DO REI E SUAS 4 ESPOSAS

     Era uma vez... um rei que tinha 4 esposas. Ele amava a 4ª esposa demais, e vivia dando-lhe lindos presentes, jóias e roupas caras. Ele dava-lhe de tudo...

69 - O FALCÃO, O MORCEGO E O ZANGÃO

     Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado e inteiramente aberto em cima, o pássaro, apesar de sua habilidade para o vôo, será um...

44 - A RATOEIRA

     Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali. Ao descobrir...

133 - ORAÇÃO INTERCESSÓRIA PELA IGREJA PERSEGUIDA NA MALÁSIA

       Governo enfrenta tarefa difícil para proibir o uso da palavra "Alá" Igreja na Malásia      O governo da Malásia está enfrentando uma difícil tarefa para proibir o uso...