Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

07 - A ORAÇÃO PRECISA SER PRIORIDADE - parte 2

Propósito Número Um da Palavra de Deus

     Isso foi uma revelação para mim. A pregação não é a primeira nem a mais forte maneira de se usar a Palavra de Deus. A Bíblia tem inúmeros usos, mas a oração é a sua finalidade número um, a mais elevada de todas. A Bíblia é o grande e verdadeiro livro de oração.

     Observe como Jesus usou essa espada naqueles quarenta dias de tentação no deserto (Mt 4; Lc 4). Antes de dizer: “Está escrito” em ministério público, ele primeiro usou as Escrituras no combate secreto da oração. Era o seu verdadeiro campo de batalha contra Satanás. Lá ele o venceu com a Palavra de Deus. Sua vitória pública seguiu-se como resultado desse conflito secreto. A oração veio em primeiro lugar.

     É realmente muito importante que os discípulos aprendam que o primeiro uso da Palavra não é em textos e sermões e, sim, na oração. Um velho irmão metodista me exortou no começo do meu ministério: “Jovem, aprenda a suplicar em cima das promessas de Deus”. Isso me ensinou o verdadeiro segredo da intercessão. A partir daí, passei a orar de maneira diferente. Ao invés de apresentar a Deus as minhas necessidades, desejos e aspirações em oração, aprendi a lembrar Deus das suas próprias promessas.

     Isso me deu fé. Não é essa a essência do que fala em Isaías 62:6, de continuamente lembrar Deus da sua própria palavra? A oração deve ser do tamanho e da forma das promessas de Deus. Aqui, também, vemos que a oração origina-se em Deus.

     O mesmo princípio pode ser visto no livro de Atos. No capítulo quatro, houve uma reunião na qual a súplica em cima da Palavra de Deus deu substância e poder à oração deles. As Escrituras foram usadas para formar uma ponta – a ponta de uma espada –, capacitando-os a prevalecer. Com isso, aprenderam como realizar as coisas por meio da oração. O resto do capítulo quatro e o capítulo cinco relatam o que aconteceu como fruto dessa reunião de oração.

     Em todo o livro de Atos, os cristãos estavam ou de joelhos ou em ação. De joelhos, primeiro, e em ação, depois. Assim como Jesus fazia, cada passo e acontecimento era gerado por meio da oração. Tudo é pela intercessão. Essa característica acompanha a história inteira nos vinte e oito capítulos do livro. Tudo acontece por meio de respostas à oração.

     O nível de oração corresponde ao nível do poder. É um só e o mesmo nível. Para roubar o poder da igreja, basta ao diabo interromper a sua oração. Poder e oração sempre andam juntos; mas entre os dois, a oração sempre vem primeiro. Intercessão é o método poderoso do próprio Deus.

     Tomemos cuidado aqui com um raciocínio enganoso: “Deus vai realizar seu plano de qualquer maneira, quer eu ore como deveria, quer não ore”. Nada está tão próximo da razão, às vezes; ao mesmo tempo, nada está tão longe das Escrituras. Deus não faz coisa alguma sem revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas (Am 3:7). Porém, os profetas de Deus precisam primeiro ser sacerdotes, como Abraão, de quem disse Deus: “Ocultarei a Abraão o que estou para fazer…?” (Gn 18:17).

     Deus trabalha por meio dos seus sacerdotes. Ele faz tudo no seu plano redentor pela intercessão – a sua própria em favor de nós e através de nós. As grandiosas e maravilhosas obras de Deus são todas efetuadas pela oração. O sacerdócio está em primeiro lugar. Tem prioridade absoluta. Deus não fará sem intercessão aquilo que prometeu fazer através dela, e devemos buscar diligentemente nas Escrituras para descobrir o que isso inclui.

Em Primeiro Lugar na Luta Contra Satanás

     Na verdade, é a única maneira de permanecermos firmes contra o diabo ou forças demoníacas, quer seja numa reunião ou em outro lugar. É na oração que a Palavra torna-se a espada do Espírito contra as forças espirituais. É aqui que acontece a verdadeira batalha. Esse é o ponto no qual a Igreja torna-se militante, o tipo de igreja que Cristo deseja. É na reunião de oração que se prova realmente se é uma Igreja do Novo Testamento ou não.

               Efésios 6:10-20 deixa claro o seguinte:

(a) A verdadeira guerra é espiritual, contra Satanás e suas hostes;

(b) A Palavra de Deus é utilizada como uma espada, em primeiro lugar, não na pregação e, sim, na oração;

(c) No que concerne aos poderes e oposição satânicos, nada vai tocá-los ou derrubá-los a não ser o manejo da Palavra pelo Espírito Santo em intercessão.

     A pregação não alcançará a vitória a menos que a oração o tenha feito primeiro. A pregação não poderá ir além do que foi alcançado na oração. Só podemos pregar com eficácia até o ponto alcançado primeiro pela oração. Precisamos prevalecer com Deus em oração e, depois, prevaleceremos na pregação.

     Frequentemente, o discípulo pode chegar a um ponto de impedimento em que só falta o diabo jogar as palavras de volta em seu rosto. Como pode ser quebrada essa barreira? Não por insistir mais na pregação. O discípulo precisa parar e orar ou pedir para que o povo ore em seu favor. Qualquer uma das opções pode ser embaraçosa porque a maioria das congregações não está treinada no Espírito para perceber o que está acontecendo. Contudo, se o povo não é sensibilizado e não sabe discernir o que está acontecendo, não conseguiremos agir contra Satanás e não conquistaremos terreno inimigo para Deus.

     Observei recentemente em Lucas 9 que Jesus deu aos seus doze evangelistas “poder e autoridade” para as suas cruzadas nas cidades, a serem exercidos em primeiro lugar “sobre todos os demônios”. Que declaração! Demônios em primeiro lugar?

     No trabalho de conduzir uma comunidade para Deus, lutamos não somente contra o pecado, mas também contra Satanás. Como podemos vencê-lo? Pela oração. Nada mais o moverá. Sim, Jesus disse, “sobre todos os demônios”. Esse ministério já era deles antes do Pentecoste.

     Com todos os nossos métodos evangelísticos hoje, mesmo depois do Pentecoste e de toda a luz que recebemos desde então, não conseguimos impactar as comunidades nem como os discípulos faziam antes do Pentecoste! Quando eles ministravam, havia tanto poder como se o próprio Cristo estivesse lá.

     Ó Deus, dá-nos um evangelismo como esse hoje! O testemunho que davam era tão poderoso que aquelas cidades terão de dar contas do que ouviram no juízo final. A grande quantidade de madeira, feno e palha – shows, exibições e atrações – que usamos no evangelismo hoje não levará ninguém ao juízo, a não ser nós mesmos!

Em Primeiro Lugar no Ministério da Igreja 

(a vida vivida das células no corpo)

     Em Mateus 16:18, Jesus disse: “Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Quando Jesus deu o primeiro passo para construir a sua igreja, o que ele fez? Chegando a Atos 1:14, encontramos a resposta. Estupefatos, olhamos em admiração enquanto se abre a porta do Cenáculo, onde vemos a seguinte cena: “Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele”.

     Se você me perguntar: “Qual foi o seu achado mais importante na Bíblia nestes últimos anos”, eu responderia que foi este: Quando Jesus Cristo começou a construir a sua igreja, ele construiu primeiro uma reunião de oração. Isso para mim é mais do que uma revelação: é um chamado para revolucionar a forma de desenvolvermos a obra de Deus.

     Quando olhamos para as nossas pobres, mirradas e doentias reuniões de oração que as igrejas fazem hoje, fica claro que nossa geração não captou a ideia que Cristo tem da igreja. Mesmo quando se tem uma boa reunião de oração, achamos que o grupo de irmãos da igreja é uma coisa e que o grupo de oração é outra. Mas onde é que achamos isso na Bíblia? Não são dois grupos diferentes, mas é um só e o mesmo grupo. A igreja é, na verdade, uma reunião de oração. Não faltava nenhum membro na reunião de oração.

     A oração não é tudo, de forma alguma; contudo, está em primeiro lugar. Como chegaremos às coisas que estão em segundo e terceiro lugares se não temos a que está em primeiro? Por que não temos uma igreja como no livro de Atos? Precisamos edificar, com Cristo, como em Atos 1, um cenáculo.

     Frequentemente, pensamos na reunião de oração como um pequeno rebanho ou como uma atividade separada da corrente principal de vida e atividade da igreja. “Claro, precisamos orar, fazer uma reunião de oração…”, mas pensamos nela como um prelúdio ou poslúdio do nosso programa tão cheio e tão planejado. No Novo Testamento, porém, a oração é o verdadeiro ministério da igreja.

     Toda a igreja deveria ser organizada e integrada em torno da reunião de oração. Assim, ela seria edificada por Cristo e com Cristo, e não pelo homem em favor de Cristo. A reunião de oração deveria ser a reunião grande e realmente completa de toda a igreja – a melhor reunião da semana. Não é nosso papel dizer a Jesus que tipo de igreja nós queremos – estamos aqui para fazer o que ele quer, e o que ele quer em primeiro lugar é oração!

O ministério do discípulo e vida de oração

     A nossa dificuldade hoje é que não vemos a oração como ministério. Na Bíblia, o ministério secreto da oração era o segredo do ministério. A oração é o mais elevado de todos os ministérios. Hoje avaliamos os ministérios de modo diferente: “Ele é popular… uma grande personalidade… um grande pregador, etc.”. Nas Escrituras, quanto mais elevado o ministério de um homem, mais ele é um homem de oração.

     Pense em Abraão, Moisés, Josué, Samuel, Davi, Elias e todos os profetas do Velho Testamento; no ancião Zacarias, em Simeão, João Batista, Jesus e todos os homens do Novo Testamento. A Bíblia é a biografia de homens de Deus que eram poderosos na oração e que mudaram a face da Terra porque buscavam constantemente a face de Deus. A oração para eles não era um ministério secundário nem uma preliminar às outras atividades mais importantes.

     Para eles era o ministério dos ministérios. Era o seu trabalho e a sua batalha principal. Eles não somente “oravam a respeito” do seu trabalho. A oração era a sua grande ocupação. Era o seu ministério número um. Com todo o nosso coração, pedimos: “Senhor, ensina-nos a orar!”

No amor em Cristo,

Pr. Dalton Ramos

Versículo do Dia

Nm 11:22

"Degolar-se-ão para eles ovelhas e vacas que lhes bastem? Ou ajuntar-se-ão para eles todos os peixes do mar, que lhes bastem? "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

125 - É DEUS

     Alguma vez sentiste o desejo de fazer uma coisa agradável por alguém a quem tens carinho?      É DEUS que te fala através do Espírito Santo.      Alguma...

63 - A BÍBLIA

     Há muitos anos, existiu um homem muito rico que no dia do seu aniversário convocou a criadagem a sua sala para receberem presentes. Colocou-os a sua frente na...

220 - O MENINO E O CACHORRINHO

     Um menino entra na lojinha de animais e pergunta o preço dos filhotes à venda.      - Entre 30 e 50 dólares, respondeu o dono.      O menino...

9 - UM NOVO CORAÇÃO

      Se um órgão em nosso corpo necessita de saúde e de ser eficiente, este deve ser o coração.      O coração é o órgão que efetua o maior...

5 - O TEMPO

      Imagina que você tenha uma conta corrente e a cada manhã você acorda com um saldo de R$ 86.400,00. Só que não é permitido transferir o saldo para...