Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

     Entra o mês de junho e com ele uma série de festas religiosas, conhecidas como “FESTAS JUNINAS”. Na tradição católica, cada dia se homenageia a um santo, crendo ser ele o protetor daquele dia. Alguns deles, no entanto, tem mais destaque que outros. No mês de junho, por exemplo, Santo Antônio, São João e São Pedro são comemorados com grandes festas. No início do mês, as lojas exibem os trajes típicos desta festa, como também as escolas e toda a comunidade participam em conjunto com a Igreja Católica que festeja os seus santos com missas, procissões, cânticos, fogos e quermesses. É difícil separar o folclore da religião, nestas festas. Varia muito de cada crença. Nossas escolas, por exemplo, enfatizam os aspectos folclóricos, em virtude do passado histórico do nosso povo que absorveu culturas e costumes de raças como portuguesa, africana e outras. No entanto, o aspecto religioso está presente em tudo; não se pode negar. Tais festejos variam de região para região, se destacando no norte e nordeste do país, onde o misticismo católico é mais acentuado. Explicando a origem destas festividades a tradição católica descreve o seguinte: “Maria e Isabel eram muito amigas. Quando Isabel se engravidou as duas combinaram que ao dar a luz, Isabel iria avisar o fato a Maria, acendendo uma fogueira bem grande que pudesse ser vista á distância e mandaria erguer um mastro com uma boneca sobre ele. Era uma maneira de se comunicarem, já que a comunicação, naquela época, era bastante precária. Assim foi feito e a partir daí, São João passou a ser festejado com mastro, fogueira, balões, fogos, danças e muita comida”. Se João Batista pudesse estar aqui hoje, qual seria sua reação diante de toda esta manifestação popular que o coloca em posição igual a de Jesus? Certamente, ele não aprovaria, visto o que ele mesmo disse em João 3.30 “convém que ele cresça e que eu diminua”, referindo-se a Jesus. João Batista reconhecia que não era digno nem sequer de desatar as correias das sandálias de Jesus. Portanto essas manifestações, certamente, não lhe agradaria; da mesma maneira que Pedro, num gesto de humildade não aceitou que Cornélio se prostrasse diante dele, porque se considerava homem igual a Cornélio. Pedro reconhecia que só Deus era digno de honras e louvores. Ao lado desta festa, dois outros santos são homenageados no mês de junho: Santo Antônio dia 13 e São Pedro - dia 29. A devoção a Santo Antônio foi introduzida no Brasil pelos padres franciscanos que construíram em Olinda (PE) a 1ª Igreja dedicada a ele. Faz parte da tradição, que as moças casadouras recorrem a Santo Antônio, na véspera do dia 13 de junho, fazendo promessas em torno do desejado casamento. Isto acabou, curiosamente, transformando o dia 12 de junho no “dia dos namorados”, por ser o santo considerado casamenteiro. Já São Pedro, segundo a Igreja católica, é considerado como o príncipe dos apóstolos, atribuindo a ele a fundação da igreja católica e o seu 1° papa. A ele se atribui poder para abrir as portas do céu já que ele recebeu as chaves das mãos de Jesus. É patrono dos pescadores e no seu dia, ocorrem as procissões marítimas em sua homenagem com grande queima de fogos e balões. O Padre jesuíta Bartolomeu de Gusmão e o inventor Alberto Santos são figuras ilustres entre os brasileiros por soltarem balões em festas juninas de suas épocas, sendo considerados, portanto, os precursores desta prática.

     Todos os cultos das festas juninas estão relacionados com a “sorte”. Por isso os devotos acreditam que ao soltarem um balão e ele subir, seus desejos serão atendidos, caso contrario é um sinal de azar. Em algumas regiões como a Bahia, os seguidores do Candomblé aproveitam-se desse período de festas juninas católicas para comemorarem os Orixás, onde Santo Antônio é confundido com Ogum, santo guerreiro da cultura afro-brasileira. Sincretismo religioso é o que não falta...

     As comidas típicas das festas juninas são: curau, batata-doce, mandioca, pipoca, milho-verde, canjica, amendoim, pé-de-moleque, pinhão, gengibre, quentão e etc. Diante de tudo isso levantamos as seguintes questões: É lícito ao crente em Jesus Cristo, participar destas festas? É licito ao evangélico acompanhar o seu filho em uma destas festas realizadas pela sua escola? É licito permitir que seu filho vista roupas típicas desta festa e dance quadrilha organizada pela escola? É licito comer ou deixar seu filho comer os alimentos oferecidos nestas festas? É licito às Igrejas Evangélicas promoverem festas juninas em suas próprias dependências, com o fim de arrecadar fundos? Todas as coisas nos são lícitas, mas será que todas as coisas nos convêm? Todos esses questionamentos tem que ser analisados com cuidados, pois tais festas com tons folclóricos tem aspectos religiosos gritantes e a sua prática, certamente, desagrada a Deus; pois fomos chamados para sermos separados e nos abdicarmos de toda mistura religiosa e práticas ligadas ao paganismo. É preciso que o cristão saiba que ao participar de tais festas, está, automaticamente, prestando culto a Santo Antônio, São João e São Pedro; e isto, esta mais do que claro, que se trata de um ato de idolatria e culto aos demônios.

     Sendo assim não deixe que estas festividades te distancie da comunhão com Jesus. Diga não a idolatria em sua vida.

 

Meditação da Palavra

1ª) “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz”. I Pedro 2:9

2ª) “Portanto há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”. I Timóteo 1:5

3ª) “Os ídolos deles são prata e ouro, obras das mãos dos homens, têm boca, mas não falam, têm olhos, mas não vêem, têm ouvidos, mas não ouvem, tem nariz, mas não cheiram; têm mãos, mas não apalpam, têm pés, mas não andam, nem som algum sai da sua garganta. Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem, e todos os que neles confiam”. Salmo 115:8

4ª) “Quando tiveres entrando na terra que o Senhor teu Deus te dá, não imitarás as abominações dessas nações”. Deuteronômio 18:9

5ª) “Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, é aos demônios que sacrificam, não a Deus; e não quero que sejais participantes com demônios”. I Coríntios 10:19,20

6ª) “Instrui o menino no caminho que deve andar e até quando envelhecer não se desviará dele”. Provérbios 22:6

7ª) “Portanto, meus amados, fugi da idolatria”. I Coríntios 10:14

Jesus não divide Sua Glória com ninguém!

 

Versículo do Dia

Jó 13:16

"Também ele será a minha salvação; porém o hipócrita não virá perante ele. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

75 - O ANEL

     Um aluno chegou a seu professor com um problema: Venho aqui, professor, porque me sinto tão pouca coisa, que não tenho forças para fazer nada. Dizem que não...

220 - O MENINO E O CACHORRINHO

     Um menino entra na lojinha de animais e pergunta o preço dos filhotes à venda.      - Entre 30 e 50 dólares, respondeu o dono.      O menino...

16 - AMARGURA, OU, AMAR CURA?

      Que bom quando alguém pode andar com a alma leve! Que bom quando guardamos coisas boas no coração! No entanto, há pessoas que guardam espinhos em seu coração.  ...

13 - UMA FORMIGA ME LEVOU A ORAR

      Outro dia, vi uma formiga que carregava uma enorme folha. A formiga era pequena e a folha devia ter, no mínimo, dez vezes o tamanho dela. A formiga...

219 - PACIÊNCIA

     Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.      Por muito pouco a...