Bem-vindos à Igreja Evangélica Comunidade Encontros com Jesus

NÃO SEJA APANHADO DE SURPRESA

     Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vem à dor do parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão. Mas, vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa. I Tes. 5:3 e 4.

     Quando nosso filho Steve nasceu, Vesta e eu morávamos em Manaus, junto ao rio Amazonas. Nossa casa situava-se nos arredores da cidade. O serviço de ônibus urbanos parava às 10 horas da noite e recomeçava às 4 da manhã. Não havia telefones por perto. Ao aproximar-se o tempo da chegada de Steve, consegui localizar três telefones cerca de um quilômetro e pouco de nossa casa, para alguma eventualidade. Assim mesmo, fomos apanhados de surpresa.

     Não que não tivéssemos feito planos para a chegada de Steve. Nós fizemos. Mas ele não nasceu quando esperávamos que nascesse. As dores do parto começaram à uma e meia da madrugada. Eu me vesti e corri para o primeiro telefone tão rápido quanto conseguia. Era a casa de uma parteira. Bati palmas, como era costume. Como eu continuasse a bater, alguns vizinhos acordaram e me informaram que ela estava de férias.

     Corri até uma loja onde havia telefone. Estava fechada, claro! Então percebi uma luz que brilhava por trás da porta de uma padaria. Bati palmas, expliquei a emergência aos dois empregados e pedi permissão para usar o telefone. Eles se desculparam, mas eu teria que pedir licença ao patrão, que morava na esquina. Corri até a esquina. Minhas palmas devem ter causado mau humor no patrão, pois quando expliquei minha aflitiva situação e pedi licença para usar o telefone, ele me disse com termos bem explícitos que ninguém usaria o telefone dele àquela hora da noite e bateu a janela com força.

     A essa altura eu estava desesperado. Finalmente, encontrei alguns homens que tinham estado bebendo até tarde e haviam chamado um táxi. Quando lhes expliquei a situação, com boa vontade me permitiram usar o táxi que haviam chamado. Quando entramos no hospital, era quase tarde demais. Steve nasceu cinco minutos depois de termos chegado!

     Seja quando for a segunda vinda de Cristo apanhará a maioria das pessoas de surpresa. Você não precisa deixar que isso lhe aconteça, se estiver sempre pronto para o Seu retorno.

Leia Mais . . .

AMIZADE ??? VOCÊ SABE O VALOR DE UMA

     Um dia, durante uma conversa entre advogados, me fizeram uma pergunta: "O que, de mais importante, você já fez na sua vida"? A resposta me veio na hora, mas não foi a que respondi, pois as circunstâncias não eram apropriadas.

     No papel de advogado da indústria do espetáculo, sabia que os assistentes queriam escutar anedotas sobre meu trabalho com as celebridades. Mas aqui vai a verdadeira, a que surgiu das profundezas das minhas recordações. O mais importante que já fiz na minha vida, ocorreu em 08 de outubro de 1990. Comecei o dia jogando golfe com um ex-colega e amigo meu, que há muito não via.

     Entre uma jogada e outra, conversávamos a respeito do que acontecia na vida de cada um. Ele me contava que sua esposa e eles acabavam de ter um bebê. Enquanto jogávamos, chegou o pai do meu amigo, e consternado, lhe diz que seu bebê parou de respirar e que foi levado para o hospital com urgência. Por um momento fiquei onde estava, sem pensar nem mover-me, mas logo tratei de pensar no que deveria fazer: Seguir meu amigo ao hospital? No mesmo instante, meu amigo subiu no carro de seu pai e se foi.

     Minha presença, disse a mim mesmo, não serviria de nada, pois a criança certamente está sob cuidados de médicos, enfermeiras, e nada havia que eu pudesse fazer para mudar a situação. Oferecer meu apoio moral? Talvez, mas tanto ele quanto sua esposa vinham de famílias numerosas e sem dúvida estariam rodeados de amigos e familiares que lhes ofereceriam apoio e conforto necessários, acontecesse o que acontecesse. A única coisa que eu faria indo até lá, era atrapalhar.

     Decidi que mais tarde iria ver o meu amigo. Quando dei a partida no meu carro, percebi que o meu amigo havia deixado o seu carro, aberto e com as chaves na ignição, estacionado junto às quadras de tênis. Decidi, então, fechar o carro e ir até o hospital entregar-lhe as chaves. Como imaginei, a sala de espera estava repleta de familiares que os consolavam. Entrei sem fazer ruído e fiquei junto à porta pensando o que deveria fazer. Não demorou muito e surgiu um médico que se aproximou do casal e, em voz baixa, comunica o falecimento do bebê.

Leia Mais . . .

ESPECIAL

De: Pastor Silas 

Para: As ovelhas do Senhor Jesus Cristo

     Compartilhamento do pastor Silas recebido de uns irmãos. Este tem trazido peso em seu espírito, e a você, para a sua meditação e avaliação.

     Tenho estado com uma impressão quanto ao que diz respeito ao período de férias desse ano, de que nós enfrentaremos uma batalha num nível que até aqui não enfrentamos. A pressão do espírito da Babilônia será muito intensa para sufocar os crentes, ao máximo, com um "espírito de férias", operando neles um esvaziamento completo - o esvaziamento de Jesus e da Sua Palavra; dos afetos por Jesus e pelos irmãos, a violência espiritual de se "arrancar Jesus de nós e nos arrancar de Jesus".

     Parece que alguns, por já virem durante o ano todo em um processo de sufocamento, nesse período, negociarão facilmente, deixando de se congregar para estarem de férias (tirarem férias de Jesus e do Seu Reino), e o pior, é que por virem já nesse estado, àqueles que viajarão para levar tempo nas praias não cuidarão de alimentar-se da Palavra e de cultivarem um relacionamento vivo e diário com Deus, por isso estarão abertos para muitas contaminações e, quando voltarem, já poderão estar em um quadro de apostasia, mesmo permanecendo na congregação. E mesmo os que não sairão em viagem de férias podem enfrentar o mesmo processo, ou seja, estando na congregação, participando de tudo, mas, com um "espírito de férias"; afinal, esse "espírito" é uma mentalidade, um estado de mente e interior, um conceito que leva a pessoa a, interiormente, entrar em férias, e às vezes, férias do próprio Jesus e da Sua Palavra.

     As virgens loucas (Mateus 25.1-13), nesse período de férias, irão praticar o que é típico da natureza delas: A loucura. A loucura de tirar férias de Jesus, e ainda buscando influenciar e pressionar as virgens prudentes para levá-las a cometerem as mesmas loucuras, usando aquele famoso argumento: "Não tem nada a ver, isso é radicalismo; será que depois de ter trabalhado o ano todo, não tenho o direito de tirar férias?" (A pessoa viveu o ano todo sufocada em função de si mesma, trabalhando, estudando, fazendo cursos, sem tempo pra nada, usando os recursos que Deus deu, e quando chega ao final do ano, de quem vai se descontar tudo isso? De Deus. Ela opta por "lesar" a Deus em função dos deleites e ainda com um sentimento, de ter sido lesada). 0 problema não está de maneira nenhuma em tirar férias, mas com que "espírito" se vai tirar férias e de quem vai se tirar férias.* [...]

Continue Lendo . . .

VITÓRIA SOBRE FRACASSO NA ORAÇÃO

     Se na vida de um cristão zeloso existe pouco entusiasmo na oração, um senso de fracasso no testemunhar, a ausência de alegria e paz e, ainda, pouco prazer na Palavra, é bem possível que esteja vivendo debaixo da lei e não da graça.

     Há uma grande diferença entre lei e graça. A lei exige; a graça concede. A lei ordena, porém não oferece força nenhuma para obedecer; a graça promete e executa tudo o que precisamos fazer. A lei sobrecarrega, deprime e condena; a graça conforta, fortalece e alegra. A lei apela para o ego para estimulá-lo ao desempenho máximo; a graça aponta a Cristo para fazer tudo. A lei convoca para o esforço e esgotamento e nos impele para uma meta que nunca conseguiremos atingir; a graça opera em nós toda a bem-aventurada vontade de Deus.

     Em vez de lutar contra o fracasso, o primeiro passo deveria ser aceitar plenamente a derrota junto com a própria debilidade e, com essa confissão, cair desmontado diante de Deus em total impotência. É nessa posição que se aprende que, sem a libertação e a força provenientes da graça, é impossível fazer melhor do que já fez. A graça precisa fazer tudo por ele. É preciso sair do domínio da lei, do velho homem e do esforço carnal, e assumir sua posição debaixo da graça, permitindo que Deus faça tudo.

     Quantas vezes temos determinado orar mais, com mais intensidade, e depois falhamos de novo! Não temos a força de vontade de alguns, que conseguem dar meia-volta e mudar os hábitos. A pressão do dever é enorme, como sempre, e temos muita dificuldade em achar tempo para orar mais. Não sentimos verdadeira alegria na oração, sem a qual é impossível perseverar; assim, somos incapazes de suplicar e clamar como deveríamos. Nossas orações, em vez de serem fonte de alegria e renovação, levam-nos a autocondenação e dúvida. Temos, por vezes, lamentado, confessado e feito resoluções, mas, para falar a verdade, não temos esperança, porque não enxergamos o caminho para qualquer mudança profunda ou permanente.

     Enquanto prevalece esse espírito, há muito pouca perspectiva de progresso. Desânimo traz derrota. Nenhum ensinamento da Palavra sobre o dever, a urgente necessidade e o bem-aventurado privilégio de orar mais e com mais eficácia valerá alguma coisa enquanto não se fizer calar o sussurro secreto: não adianta, não há esperança. Nossa primeira preocupação deve ser encontrar a causa secreta do fracasso e do desespero; só então é que descobriremos como é divinamente garantida a nossa libertação.

Continue Lendo . . .

A ORAÇÃO PRECISA SER PRIORIDADE - parte 1

     De um modo geral, a oração está em declínio na igreja, tanto nas vidas pessoais dos líderes como nas reuniões coletivas de oração. Esse fato causa ainda maior admiração quando consideramos a hora avançada e crítica em que vivemos e o fervor com que Deus nos conclama à oração em praticamente cada página da Bíblia.

     O resultado: pouco ou nenhum avivamento! Nós pregadores simplesmente não estamos dando prioridade ao avivamento. Oh, sim, claro que, entre tantas outras coisas, gostaríamos de ter avivamentos também. Mas, nessa base, o avivamento não virá. Precisa ser prioritário. Senhor, dá-nos um novo “anseio” interior pelo avivamento, santo e profundo, que venha do teu trono!

     Necessitamos novo poder e nova autoridade para levar o nosso povo a orar. Nós mesmos precisamos de uma nova vida de oração. A decisão de Atos 6.4 precisa ser a nossa também: “…quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.” O avivamento não terá prioridade enquanto a oração não tiver prioridade.

     Que tipo de cristianismo estamos vivendo atualmente? Um cristianismo laodicense: letárgico, preguiçoso, morno, ausente. No evangelismo há um senso de frustração e enfado. Há uma espécie de tranquilidade glacial numa época de crise! Os cristãos agem como se houvesse fartura de tempo, como se a situação não fosse séria. No entanto, estamos numa crise muito grave, e não existe nenhuma outra saída a não ser em Cristo.

     A única resposta para uma era apocalíptica é um cristianismo apostólico.

     Se quisermos avivamento, sabemos que terá de começar nas nossas igrejas. Icabode precisa desaparecer. E para começar nas nossas igrejas, sabemos também que terá de começar nas nossas reuniões de oração. E para começar nas nossas reuniões de oração, é necessário começar conosco, os ministros. A oração precisa novamente ocupar o primeiro lugar em nossas vidas. Precisa ser prioridade. Necessitamos de uma revelação nova e correta a respeito da oração. Usando a Bíblia, quero apresentar pelo menos sete razões por que a oração deve estar em primeiro lugar.

Continue Lendo . . .

A ORAÇÃO PRECISA SER PRIORIDADE - parte 2

Propósito Número Um da Palavra de Deus

     Isso foi uma revelação para mim. A pregação não é a primeira nem a mais forte maneira de se usar a Palavra de Deus. A Bíblia tem inúmeros usos, mas a oração é a sua finalidade número um, a mais elevada de todas. A Bíblia é o grande e verdadeiro livro de oração.

     Observe como Jesus usou essa espada naqueles quarenta dias de tentação no deserto (Mt 4; Lc 4). Antes de dizer: “Está escrito” em ministério público, ele primeiro usou as Escrituras no combate secreto da oração. Era o seu verdadeiro campo de batalha contra Satanás. Lá ele o venceu com a Palavra de Deus. Sua vitória pública seguiu-se como resultado desse conflito secreto. A oração veio em primeiro lugar.

     É realmente muito importante que os discípulos aprendam que o primeiro uso da Palavra não é em textos e sermões e, sim, na oração. Um velho irmão metodista me exortou no começo do meu ministério: “Jovem, aprenda a suplicar em cima das promessas de Deus”. Isso me ensinou o verdadeiro segredo da intercessão. A partir daí, passei a orar de maneira diferente. Ao invés de apresentar a Deus as minhas necessidades, desejos e aspirações em oração, aprendi a lembrar Deus das suas próprias promessas.

     Isso me deu fé. Não é essa a essência do que fala em Isaías 62:6, de continuamente lembrar Deus da sua própria palavra? A oração deve ser do tamanho e da forma das promessas de Deus. Aqui, também, vemos que a oração origina-se em Deus.

     O mesmo princípio pode ser visto no livro de Atos. No capítulo quatro, houve uma reunião na qual a súplica em cima da Palavra de Deus deu substância e poder à oração deles. As Escrituras foram usadas para formar uma ponta – a ponta de uma espada –, capacitando-os a prevalecer. Com isso, aprenderam como realizar as coisas por meio da oração. O resto do capítulo quatro e o capítulo cinco relatam o que aconteceu como fruto dessa reunião de oração.

     Em todo o livro de Atos, os cristãos estavam ou de joelhos ou em ação. De joelhos, primeiro, e em ação, depois. Assim como Jesus fazia, cada passo e acontecimento era gerado por meio da oração. Tudo é pela intercessão. Essa característica acompanha a história inteira nos vinte e oito capítulos do livro. Tudo acontece por meio de respostas à oração.

Continue Lendo . . .

Versículo do Dia

Js 8:21

"E vendo Josué e todo o Israel que a emboscada tomara a cidade, e que a fumaça da cidade subia, voltaram, e feriram os homens de Ai. "



by Estudo Bíblico

Família do Reino de Deus

24 - O SOL BRILHA MAIS ALÉM

     Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forcas sobem com asas como águias, correm e não se cansam caminham e não se fatigam. Isaías 40:31. A...

125 - É DEUS

     Alguma vez sentiste o desejo de fazer uma coisa agradável por alguém a quem tens carinho?      É DEUS que te fala através do Espírito Santo.      Alguma...

82 - A IMPORTÂNCIA DO LAR...

     Você já se deu conta da importância do seu lar?      Não nos referimos ao valor financeiro da sua casa, mas da importância do aconchego do lar. Na...

18 - DEUS NÃO QUER RESTOLHOS

     A oferta faz parte da vida cristã.      A mordomia bíblica ensina como, quando, porque e para que o cristão agradece ofertando.      A fé no Senhor Jesus...

149 - NADA NA VIDA ACONTECE EM VÃO

 Jesus está sempre pronto a te ajudar. Peça com sinceridade e fé. Ele já mais te abandonará!!! Em momentos de dificuldade, é com Ele, que você poderá contar.      Se um...